INCIDÊNCIA DE DOENÇAS TRANSMITIDAS POR ALIMENTOS (DTA) NO ESTADO DE PERNAMBUCO, UM ACOMPANHAMENTO DOS DADOS EPIDEMIOLÓGICOS NOS ÚLTIMOS ANOS

Júlio César Gomes da Silva

Resumo


Um dos grandes problemas de saúde pública está relacionado com as doenças transmitidas por alimentos (DTA's), quando micro-organismos patogênicos são responsáveis por esta contaminação. Tendo como os principais agentes: bactérias, vírus e protozoários, as pessoas mais atingidas por esta enfermidade, são as de classe econômica baixa. A pesquisa tem como objetivo é refletir à luz da literatura sobre a problemática no estado de Pernambuco, através de dados epidemiológicos e politicas públicas no combate aos surtos. Para tanto, o levantamento foi realizado utilizando os principiais sítios de busca como Scielo, NCBI, Portal de Periódicos CAPES, Bireme e a biblioteca da Faculdade Integrada de Pernambuco. Foram selecionados artigos dos últimos 10 anos e as seguintes palavras-chave foram utilizadas para a pesquisa: contaminação alimentar, micro-organismos, infecção alimentar em Pernambuco. Os resultados são apresentados e discutidos podendo observar que algumas cidades com o passar dos anos evoluíram seus planejamentos e diminuíram seus índices outras ainda nos presentes dias precisam continuar fortalecendo para combater os altos níveis de contaminação por alimentos, resolvendo problemas ambientais tais como o saneamento básico é ate mesmo comerciais como o armazenamento desses alimentos, para melhorar a qualidade de vida das pessoas é tornar as DTA’s como pouco incidente no estado.

Palavras-chave


DTA’s, Infecções alimentares, Pernambuco.

Texto completo:

PDF

Referências


AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA (ANVISA). Plano diretor de vigilância sanitária. 1. ed. Brasília: Anvisa, 2007.

ANVISA- AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA (ANVISA). NORMA PARA EMPRESAS PRESTADORAS DE SERVIÇO, Centro de Vigilância Sanitária, Novembro de 2000.

ANVISA AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA (ANVISA). Resolução RDC n° 2016, 15 de setembro de 2004. Disponível em: Acesso em: 13 de maio de 2016.

ALMEIDA, R. C. C. et al. Avaliação e controle da qualidade microbiológica de mãos de manipuladores de alimentos. Revista de Saúde Pública, São Paulo, v. 29, n. 4, pág: 290-294, ago. 1995.

AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA (ANVISA). Informações Alimentares, 2013. Disponível em: Acessado em: 16 de março de 2016b.

BRASIL, Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção a Saúde. Coordenação geral da politica de alimentação e nutrição. Guia alimentar para a população brasileira: promovendo a alimentação saudável, 2006.

BRASIL, Secretaria Estadual de Saúde. Informações sobre DTA’s em Pernambuco/ Ministério da Saúde, 2013. Disponível em: http://portal.saude.pe.gov.br/verbete/doencas-transmitidas- por-alimentos-dta>. Acessado em: 07 de maio de 2016.

BRASIL, Secretária Executiva de Vigilância em Saúde. Doenças Transmitidas por Alimentos a população de Pernambuco, 2010. Disponível em: Acessado em: 16 de março de 2016.

BRASIL, Secretária de Saude do Estado de São Paulo. Doenças Trasmitidas por Água é Alimentos. Centro de Vigilância Epidemiologica, 7 p., São Paulo, 2011.

BRASIL. Secretaria de Vigilância em Saúde. Manual integrado de prevenção e controle de doenças transmitidas por alimentos. Página, 136, 2007. . Acesso em: 07 de maio de 2016.

BRASIL, Sistema nacional de vigilância em saúde: relatório de situação: Pernambuco / Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde.– 2. ed. – Brasília : Ministério da Saúde, 24 p. : il. color. – (Série C. Projetos, Programas e Relatórios), 2006.

BRASIL, Sistema nacional de vigilância em saúde : relatório de situação : Pernambuco / Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde. – 5. ed. – Brasília : Ministério da Saúde, 36 p. : il. color. – (Série C. Projetos, Programas e Relatórios), 2011.

BRASIL, Sistema Único de Saúde (SUS): MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA INVESTIÇÃO EM SURTOS DE DTA, Diretoria de Vigilância Epidemiológica 20 p. Santa Catarina, 2006.

CARMO, G. M. I., OLIVEIRA, A. A., DIMECH, C. P., SANTOS, D. A., ALMEIDA, M. G., BERTO, L. H., ALVES, R. M. S. & CARMO, E. H. Vigilância epidemiológica das doenças transmitidas por alimentos no Brasil, Boletim Eletrônico Epidemiológico, 1999-2004, vol6, Pág:1-7, 2005.

CASSIANO, A. D. W., JANE, M. C. B., SOLANGE, M. L., SIMONES, H., MARA, L. T. S. & ROSANE, C. R.; Surtos de DTA’s Brasil, Revista Brasileira de Biociências, 2009.

CHANG, K. SURTOS DE DOENÇAS TRANSMITIDAS POR ALIMENTOS. RECIFE, 2005, 78 p. Recife, 2008.

COSTA, R. J. Microorganismos nos alimentos - Bactérias patogênicas, Artigo por colunista: Portal Educação, 2009. Disponível em: http://www.portaleducacao.com.br/farmacia/artigos/8701/microorganismos-nos-alimentos-bacterias-patogenicas. Acessado em: 06de maio de 2016

CREDIDIO, Edson; DOENÇAS TRANSMITIDAS POR ALIMENTOS , O DTA, 2014. Disponível: em: Acesso em: 13 de maio de 2016.

FERRAZ, R. R. N.; SANTANA, F. T., BARNABÉ, A. S., FORNARI, J. V., INVESTIGAÇÃO DE SURTOS DE DOENÇAS TRANSMITIDAS POR ALIMENTOS COMO FERRAMENTA DE GESTÃO EM SAÚDE DE UNIDADES DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO, RACI, Getúlio Vargas, v.9, n.19, Jan/Jul. 2015.

GARCIA, P. D.; DUARTE, D. A., Perfil epidemiológico de surtos de doenças transmitidas por alimentos ocorridos no Brasil, REAS, Revista Eletrônica Acervo Saúde, 2014. Vol.6, 2013.

MADALOSSO, G., Surtos de DTA e Gastroenterites em Serviços de Saúde- Medidas de prevenção e controle durante surtos em âmbito hospitalar, 2013. Disponível em: Acessado em: 13 de maio de 2016.

MARCHI, D. M.; BAGGIO, N.; TEO, C. R. P. A., BUSATO, M. A., Ocorrência de surtos de doenças transmitidas por alimentos no Município de Chapecó, Estado de Santa Catarina, Brasil, no período de 1995 a 2007. Epidemiol. Serv. Saúde, Brasília, 20(3): 401-407, jul-set 2011.

MARINHO, G. A.; OLIVEIRA, G. S.; LIMA, J. L.; LOPES, W. M. A.; NUNES, G. A., NUNES, M. G. A.; Perfil Epidemiológico das Doenças Transmitidas por Alimentos e Seus Fatores Causais na Região da Zona da Mata Sul de Pernambuco. UNOPAR Cient Ciênc Biol Saúde, vol.17, p. 238-243, 2015.

MELO, Nara. Gerência Regional De Saúde- GERES; Situação Atual das Doenças Diarreicas Agudas Pernambuco, Pesqueira, julho, 2013. Disponível em: Acesso em: 08 de maio de 2016.

MINISTÉRIO DA SAÚDE, Secretaria de Vigilância em Saúde.– 2. ed. – Brasília, pág: 12 – (Série C. Projetos, Programas e Relatórios), 2006.

OLIVEIRA, A. B. A.; PAULA, C. M. D.; CAPOLONGA, R.; CARDOSO, M. R. I.; e TONDO, E. C.; DOENÇAS TRANSMITIDAS POR ALIMENTOS, PRINCIPAIS AGENTES ETIOLÓGICOS E ASPECTOS GERAIS: UMA REVISÃO, Porto Alegre (RS), 2010.

PRADO, D. M. A.; ALMEIDA F. E. S.; DIAS, F. R.; MURTA, H. A. L.; SIÚVEIS H.; TORTA J. R.; PINTO, M. M. F.; SOUZA, Y. M. S. PADRONIZAÇÃO DA NOTIFICAÇÃO DE DOENÇAS TRANSMITIDAS POR ALIMENTOS PARA VIGILÂNCIA SANITÁRIA: FLUXOGRAMA DESCRITIVO, p. 11, Belo Horizonte, 2014.

RECIFE. Lei n° 16.872, de 12 de junho de 2003. Recife-jusbrasil, Disponível em: Acesso em: 07 de maio de 2016.

TRAESEL K. C. Doenças Transmitidas por Alimentos (DTA's), Universidade Federal de Santa Maria, Centro de Ciências Rurais, 2012. Disponível em: Acesso em: 13 de maio de 2016.

WELKER, C. A. D.; BOTH, J. M. C.; LONGARAY, S. M.; HAAS, S.; SOEIRO, M. L. T.; e RAMOS, R. C.; Análise microbiológica dos alimentos envolvidos em surtos de doenças transmitidas por alimentos (DTA) ocorridos no estado do Rio Grande do Sul, Brasil, R. bras. Bioci., Porto Alegre, v. 8, n. 1, p. 44-48, jan./mar. 2010.