A IMPORTÂNCIA DOS FUNGOS NA BIOTECNOLOGIA

Camila Joyce Alves da Silva, Diana Jussara do Nascimento Malta

Resumo


Os fungos são onipresentes na natureza, com aproximadamente 1,5 milhão de espécies, e suscitam problemas de importância diversa em variados setores das atividades humanas, por isso a Micologia desdobrou-se em múltiplas especialidades com reflexos em vários ramos de conhecimento e aplicações, desenvolvendo bens e serviços como produtos químicos e farmacêuticos, comestíveis, laticínios, bebidas alcoólicas de todos os tipos e da área biomédica, fazendo dos fungos seres fundamentais para a humanidade. Todos esses processos de transformação de matérias-primas renováveis, e os de produção, mediante cultivos e aplicações celulares microbianos, animais e vegetais, ou seus distintos componentes, compreendem a Biotecnologia. Muito antes que o homem entendesse a biologia, ele já lidava com a biotecnologia na produção de vinhos e pães devido, em grande parte, às propriedades fermentativas das leveduras há milhares de anos, vindo os fungos a desempenharem o papel de percursores da aplicação biotecnológica. A biotecnologia envolve várias áreas do conhecimento e, em consequência, vários profissionais, sendo uma ciência de natureza multidisciplinar que associada ao desempenho obtido através das técnicas de melhoramento micológico para obtenção de novos produtos biotecnológicos, trouxe benefícios para a saúde humana. Além do potencial industrial, os fungos estão diretamente ligados à recuperação ambiental, tanto na reciclagem de resíduos agrícolas e agroindustriais, como na biodegradação de materiais com função econômica, social e ambiental. Com a utilização das fontes de compostos químicos das células fúngicas, muito ainda deve ser pesquisado e desenvolvido, considerando os benefícios e possibilidades, entre as novas ferramentas da ciência mencionadas, a biotecnologia ocupa lugar de destaque com a introdução dos fungos em seus processos e avanços.

Palavras-chave


Aplicações biotecnológicas, Fungos, Metabólitos fúngicos, Potencial industrial.

Texto completo:

PDF

Referências


ABREU, J. A. S.; ROVIDA, A. F. S.; PAMPHILE, J. A. Fungos de Interesse: Aplicações Biotecnológicas. Universidade Estadual de Maringá – UEM. Revista UNINGÁ Review - Vol.21,nº 1, pp.55-59 (Jan – Mar 2015).

ALMEIDA, S. F. Novas tecnologias de informação e desenvolvimento humano sustentável. Qualit@s - Revista Eletrônica - ISSN 1677- 4280 - Volume 1 - 2005 / número 1.

ARBIX, G. Biotecnologia sem fronteiras. Revista Novos Estudos, nº 78. Julho 2007.

AZEVEDO, J. L. Fungos – Genética e melhoramento de fungos na biotecnologia. Revista Biotecnologia, Ciência e Desenvolvimento.

BARBOSA, M. A.; FERREIRA, M. J. L.; SANTOS, E. R. R.; SANTOS, E. C.; GOMES, B. S. Aplicações de fungos em estudos forenses no processo de degradação cadavérica. Saúde & Amb. Rev., Duque de Caxias, v.7, n.1, p.10-18, jan-jun 2012.

BORÉM, A. A história da biotecnologia. Revista Biotecnologia, Ciência e Desenvolvimento. Nº 34, Janeiro a Junho de 2005.

BORZANI, W.; SCHMIDELL, W.; LIMA, U. A.; AQUARONE, E. Biotecnologia Industrial – volume l Fundamentos. São Paulo: Blucher, 2001.

BORZANI, W.; SCHMIDELL, W.; LIMA, U. A.; AQUARONE, E. Biotecnologia Industrial: Fundamentos. 1ª ed, São Paulo: Editora Edgard Blucher Ltda. V.1.2001.

Edição Especial Meio Ambiente. Revista Biotecnologia, Ciência e Desenvolvimento. Nº 34, Janeiro a Junho de 2005.

CANHOS, V. P.; MANFIO, G. P. Recursos Microbiológicos para Biotecnologia. Campinas, 2010.

CHERFAS, J. Disappearing Mushrooms: Another Mass Extinction? Science, v.254, p.1458-1458, 1991.

HAWKSWORTH, D.L., et al. Ainsworth and Bisby's dictionary of fungi. 8ª ed. Cambridge: CAB International University Press. 616 p. 2001.

FALEIRO, F. G.; ANDRADE, S. R. M.; JUNIOR, F. B. R. Biotecnologia: estado da arte e aplicações na agropecuária. Planaltina, DF: Embrapa Cerrados, 2011. 730 p.: il.

FERRAZ, A.L. Fungos decompositores de madeira. In: ESPOSITO, E.; AZEVEDO, J.L. Fungos: uma introdução à biologia, bioquímica e biotecnologia. Caxias do Sul: Educs, 2004. p.215-240.

GUERRA, R. A. T.; KANAGAWA, A. I.; SANTOS, C. F.; SILVA, F. S.; SOUSA, F. B.; CAVALCANTI, G. A.; LUBENOW, J. A.; SILVA, M. B.; NEVES, M. A.; MENEZES, R. Cadernos Cb Virtual 2 – Ciências Biológicas. João Pessoa: Ed. Universitária, 2011. 610p. : II. ISBN: 978‐85‐7745‐902‐5.

HIBBETT, D. S. et al. A higher-level phylogenetic classification of the Fungi. Mycological research 111 (2007) 509 – 547.

KOBAYASHI, M. The boring to logs of several broadleaf trees by Platypus quercivorus (Murayama). Appliend Science, v.9, p.99-103, 2000.

MALAJOVICH M. A. Biotecnologia 2011. Rio de Janeiro, Edições da Biblioteca Max Feffer do Instituto de Tecnologia ORT, 2012.

MORO, F.; MAGALHÃES, E.; GALÚCIO, E.; MOYSÉS, K.; ANTUNES, V.C.; VINTAL, T.C. Efficacy of cyclosporine 0.05% for preventing endothelial loss in corneal transplant. Revista Brasileira Oftalmologista, v.66, p.321-326, 2007.

MUZZI, M. R. S.; NEVES, L.; PAULA, M. T.; BRITO, M.; BRAVO, M.; DINIZ, N. Taxonomia de criptógmas fungos: filo Basidiomycota. Universidade Federal de Minas Gerais Instituto de Ciências Biológicas – ICB - Departamento de Botânica – Belo Horizonte, 2013.

NASCIMENTO, K. B. M.; MARTINS, A. G. R.; TAKAKI, G. M. C.; SILVA, C. A. A.; OKADA, K. Utilização de resíduos agroindustriais para produção de tanase por Aspergillus sp isolado do solo da caatinga de Pernambuco, Brasil. E-xacta, Belo Horizonte, v. 7 n. 1, p. 95-103. (2014). Editora UniBH.

OLIVEIRA, J. C. Tópicos em Micologia Médica. Rio de Janeiro; 2014, 230 págs,; il. col.

OLIVEIRA, R. L. Avaliação do Potencial Biotecnológico de Fungos. Mestrado (dissertação). Universidade do Estado do Amazonas - Programa de Pós-Graduação em Biotecnologia e Recursos Naturais da Amazônia. Manaus – AM, 2010.

OLIVEIRA, V. M.; SETTE, L. D.; GARBOGGINI, F. F. Preservação e prospecção de recursos microbianos. Divisão de Recursos Microbianos Centro Pluridisciplinar de Pesquisas Químicas, Biológicas e Agrícolas (CPQBA) - Universidade Estadual de Campinas, out. 2006.

ORLANDELLI, R. C.; SPECIAN, V.; FELBER, A. C.; PAMPHILE, J. A. Enzimas de interesse industrial: Produção por fungos e aplicações. SaBios: Rev. Saúde e Biol., v.7, n.3, p.97-109, set.-dez., 2012.

PEREIRA JR., Nei. (editor-autor) Tecnologia de bioprocessos / Nei Pereira Jr., Elba Pinto da Silva Bon, Maria Antonieta Ferrara. – Rio de Janeiro: Escola de Química/UFRJ, 2008. 62 p.: il. – (Séries em Biotecnologia, v. 1).

Revista Biomedicina. Questões Éticas da Biotecnologia. Ano III - nº 05 - Mai, Jun, Jul e Ago de 2011.

PINTO, A.C.; SILVA, D.H.S.; BOLZANI, V.S.; LOPES, N.P.; EPIFÂNIO, R.S. Produtos Naturais: Atualidades, desafios e perspectivas. Química Nova, v. 25, p.45-51, 2002.

SCHEIDT, G. N.; ARAKAKI, A. H.; SPIER, M. R.; PORTELLA, A. C. F. Biotecnologia: Clonagem, Transgênicos e Bioprospecção. 2009.

SIDRIM, J. J. C.; ROCHA, M. F. G.; CORDEIRO, R. A. Micologia Médica À Luz de Autores Contemporâneos. Editora Guanabara Koogan– 1.ed. – Rio de Janeiro: 2004.

SILVA, R. R.; COELHO, G. D. Fungos – Principais grupos e aplicações biotecnológicas. Instituto de Botânica – Ibt, out. 2006 - São Paulo/SP.

SIMÕES, R.; MARTINS, A. Inovação e biotecnologia: atributos urbanos e estrutura científica. Belo Horizonte : UFMG/CEDEPLAR, 2013. 31 p.: il.

TRABULSI, Luiz Richard, ed. Microbiologia / Editores Luiz Rachid Trabulsi e Flavio Alterthum. – 5.ed.- São Paulo: Atheneu, 2008.

Tratado de micologia médica / Carlos da Silva Lacaz ... [et al.]. – São Paulo: SARVIER, 2002.

TORTORA, G.; CASE, C. L.; FUNKE, B. R. Microbiologia. 8ª Ed. – São Paulo: Editora Atheneu, 2012.

VICTORINO, V. I. P.; A revolução da biotecnologia questões da sociabilidade. Tempo Social; Rev. Sociol. USP, S. Paulo, 12(2): 129-145, novembro de 2000.

VILLEN, R. A. Biotecnologia – Histórico e Tendências. Disponível em: . Acessado em 28 de abr. 2015.

Fungos de Interesse Industrial. Disponível em: . Acessado em 20 de mar. 2015.

Fungos: Características e Importância. Disponível em: . Acessado em 18 de mar. 2015.

Biotecnologia de fungos de importância médica e biotecnológica. Disponível em: . Acessado em 18 de mar. 2015.