ALTERAÇÕES BUCAIS EM PACIENTES SUBMETIDOS AO TRATAMENTO QUIMIOTERÁPICO DE CÂNCER NA REDE PÚBLICA DE RECIFE-PE

Arnaldo Caldas Júnior, André Barbosa, Isabela Mergulhão Teti, Mona Lisa Maria Silvestre França, Ana Cláudia Rodrigues de Oliveira Paegle, Michelly Cauás

Resumo


Os quimioterápicos são drogas que atuam principalmente sobre as células tumorais, destruindo-

as ou impedindo a sua reprodução. A boca é um dos principais locais do corpo

que reflete as complicações do tratamento do câncer. É fundamental a prevenção e o controle

dos efeitos adversos orais, pois, podem limitar o tratamento, levar à necessidade da

interrupção temporária ou definitiva do mesmo comprometendo adversamente o controle

local do tumor e as taxas globais de sobrevida. Verificar a ocorrência de alterações bucais

em pacientes submetidos ao tratamento quimioterapia de câncer bucal. A pesquisa

foi realizada na Sociedade Pernambucana de Combate ao Câncer/Hospital do Câncer de

Pernambuco que atende aos pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS). Foram coletados

dados de prontuários dos pacientes que estiveram em tratamento no ambulatório de cabeça

e pescoço no período de janeiro a junho de 2014, totalizando 108 indivíduos, sendo

74 do sexo masculino e 34 do sexo feminino, com idades entre de 19 a 89 anos. Os dados

foram digitados no programa SPSS para análise estatística. A partir desta amostra, a maior

indicação de tratamento para o câncer bucal, se deu através de radioterapia, portanto, as

alterações bucais mais encontradas relacionavam-se ao tratamento radioterápico. Apesar

de relatos na literatura da associação da quimioterapia com lesões na cavidade oral, no

universo do nosso estudo a maior frequência foi da terapêutica radioterápica. Desta forma,

necessita-se ampliar o número de prontuários a serem avaliados para uma avaliação mais

abrangente da prevalência de comprometimento oral.


Texto completo:

PDF