Infecções bacterianas na esquistossomose mansônica: revisão sistemática

Danyelle de Souza Santana, Thiago Luiz Brito Souza, Bruno Henrique Andrade Galvão, Kedma de Magalhães Lima

Resumo


Em regiões endêmicas, a exemplo do Brasil, devido a fatores que justificam a pluralidade de seres parasitários, a esquistossomose mansônica é responsável por alta taxa de morbimortalidade, com enfoque na fase crônica da doença. Estas taxas aumentam ainda mais devido à infestação do sistema hepático e o consequente comprometimento dos mecanismos de defesa do organismo hospedeiro, o qual corrobora a susceptibilidade a coinfecções por bactérias e outros micro-organismos. No presente artigo, conduzido por revisão sistemática para a identificação de estudos relevantes, com busca realizada nas bases de dados influentes e fundamentada em critérios intransigentes de inclusão por estudos epidemiológicos e outros idiomas, as pesquisas sobre a associação entre esquistossomose mansônica e doenças bacterianas são apresentados, de modo a permitir os autores a realizar um levantamento dos principais tipos de bactérias encontradas para discussão e, posteriormente, relacioná-las com as causas do desenvolvimento da infecção secundária, além da prevalência das manifestações clínicas.


Palavras-chave


Esquistossomose; coinfecções; bacteremia; translocação; infecções bacterianas

Texto completo:

PDF