GESTÃO ORGANIZACIONAL DE ESCRITÓRIOS DE ARQUITETURA DE PEQUENO PORTE EM BAGÉ/RS

Ezdehar Saleh

Resumo


Um escritório de arquitetura consiste em uma organização empresarial. Por menor que seja, possui um conjunto de atividades a serem realizadas, tais como: prestar atendimento a clientes, efetuar levantamentos, elaborar projetos, contratar terceiros para execução de projetos e obras, gerenciar o andamento das atividades dos funcionários, efetuar o controle financeiro, desenvolver ações de marketing, entre outras. Para alcançar êxito em todas as etapas e a satisfação dos clientes, é necessário desenvolver rotinas e estratégias de trabalho claramente definidas e organizadas, buscando um padrão de excelência operacional. Um processo de gestão administrativa eficiente pode contribuir no melhor aproveitamento do tempo para realização de tarefas, redução de custos e conseqüentemente no aumento da competitividade empresarial. Buscando identificar quais aspectos devem ser observados no processo de gerenciamento de um escritório de arquitetura e de que maneira alguns escritórios de Bagé/RS organizam suas atividades desenvolve-se este artigo. Os objetivos consistem em analisar de maneira detalhada os principais aspectos da dimensão organizacional dos escritórios de arquitetura e engenharia encontrados na literatura e estabelecer um paralelo entre os conceitos teóricos e a estrutura apresentada por alguns escritórios da cidade de Bagé/RS com relação às rotinas de gestão utilizadas. As metodologias utilizadas consistem em pesquisa bibliográfica, com foco em trabalhos sobre gestão e administração de escritórios e processos de organização no gerenciamento de projetos, e pesquisa exploratória, realizada por meio de um questionário aplicado a arquitetos proprietários de escritórios na cidade, com perguntas elaboradas com base nos aspectos essenciais identificados na literatura para o bom funcionamento de um escritório. As respostas obtidas foram analisadas e permitiram estabelecer um diagnóstico mais específico das práticas empregadas pelos profissionais da cidade, relacionando-as com os pontos necessários para o bom funcionamento de um escritório. A partir dessa análise, pode-se concluir que a maioria dos escritórios da cidade pode aprimorar suas rotinas organizacionais a fim de garantir maior rentabilidade e satisfação aos seus clientes. Muitos demonstram preocupação sobre os pontos questionados, entretanto, ainda não desenvolvem ações voltadas à resolução desses problemas, especialmente com relação à adoção de estratégias de marketing e organização financeira.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17564/2359-4942.2019v3n3p9-20