O Twitter como recurso didático em aulas de Língua Portuguesa

Adriana Alves Novais Souza

Resumo


Com a expansão das tecnologias e a facilidade de acesso ao meio virtual, observa-se uma crescente dificuldade entre os jovens em acompanhar as práticas de ensino tradicionais, distantes de seu contexto social, no qual as tecnologias exercem influente papel. Diante dessa realidade, o artigo objetiva analisar a utilização das redes sociais online como recurso didático em aulas de Língua Portuguesa, apresentando os resultados de uma prática de produção textual utilizando o Twitter, realizada com alunos do ensino fundamental de uma escola da rede pública de Sergipe. A pesquisa evidenciou as relações de interação e colaboração que emergem das trocas existentes nas redes sociais, a surpresa dos alunos diante da utilização de recursos virtuais como ferramenta de ensino, provocando novos olhares sobre a prática pedagógica.


Palavras-chave


Rede social. Twitter. Língua Portuguesa. Concisão textual

Texto completo:

PDF/X-1A

Referências


ANTUNES, Irandé. Aula de Português: encontro e interação. São Paulo: Parábola Editorial, 2003.

BRASIL, Parâmetros Curriculares do Ensino Médio para Linguagens, Códigos e suas Tecnologias. Brasília, DF: MEC.1999.

CARDOSO, A. L. M. S.; BURNHAM, T. F. Efetividade de um modelo pedagógico para um ambiente virtual de aprendizagem. XX SBIE. João Pessoa, PB, 2010.

CARVALHO, Jaciara Sá. Redes e comunidades virtuais de aprendizagem: elementos para uma distinção. 2009. São Paulo, Faculdade de Educação da USP. Dissertação de Mestrado.

CASTELLS, Manuel. A galáxia da Internet: reflexões sobre a internet, os negócios e a sociedade. Trad. Maria Luiza X. de A. Borges; revisão Paulo Vaz. Rio de Janeiro: Zahar, 2003.

___________. Sociedade em Rede. Tradução: Roneide Venâncio Majer; 6ª ed. São Paulo: Paz e Terra, 1999.

CASTRO, Claudio de M. A prática da pesquisa. 2ª edição. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2006.

IMBERNÓN, F. Formação docente e profissional: formar-se para a mudança e a incerteza. 6ª ed. São Paulo: Cortez, 2006.

KENSKI, V. M. Em direção a uma ação docente mediada pelas tecnologias digitais. In: BARRETO, R. G. (Org). Tecnologias educacionais e educação a distância: avaliando políticas e práticas. Rio de Janeiro: Quartet, 2001. p. 74-84.

KLEIMAN, A. B. Leitura e prática social no desenvolvimento de competências no ensino médio. In: BUNZEN, C., MENDONÇA, M.(Org.) Português no ensino médio e prática do professor. São Paulo: Parábola Editorial, 2006.

LEVY, Pierre. Cibercultura. Tradução de Carlos Irineu da Costa. – São Paulo: Ed. 34, 1999.

__________. A revolução contemporânea em matéria de comunicação. Revista FAMECOS, Porto Alegre, nº 9, pág. 43, dez/1998.

MARCONI, M. A.; LAKATOS, E. M. Metodologia científica. São Paulo: Atlas. 2009.

MINHOTO, P. MEIRINHOS, M. As redes sociais na promoção da aprendizagem colaborativa: um estudo no ensino secundário. Revista Educação, Formação e Tecnologias (novembro, 2011), 4 (2), 25-34.

RECUERO, RAQUEL. Redes sociais na internet. Porto alegre: Sulina, 2009.

RECUERO, R.; ZAGO, G. “RT, por favor”: considerações sobre a difusão de informações no Twitter. Revista Fronteiras – estudos midiáticos. Vol. 12, nº 2. Maio/agosto, 2010.

RIBAS, C. S. da C.; ZIVIANI, P. Redes de informação: novas relações sociais. Revista de Economía Política de las Tecnologias de la Información y Comunicación, vol. X, nº 1, enero, abril/2008. Disponível em www.eptic.com.br. Acessado em 29/03/2012.

VALENTE, José Armando. Mudanças na sociedade, mudanças na Educação: o fazer e o compreender. Cap. 2. In: O computador na sociedade do conhecimento. José Armando Valente (org.). Campinas, SP: Unicamp/ NIED, 1999.

VIGOTSKI, L. S. Pensamento e Linguagem. 4ª ed. São Paulo: Martins Fontes, 2008.




DOI: http://dx.doi.org/10.17564/2316-3828.2013v1n3p85-95


Indexada em: