FEMINISMO E MACHISMO NA ESCOLA: DESAFIOS PARA A EDUCAÇÃO CONTEMPORÂNEA

Lia Machado Fiuza Fialho, Francisca Genifer Andrade de Sousa

Resumo


A escola assume papel relevante na formação do indivíduo, inclusive no que remete à formação dos valores acerca do lugar cultural ocupado na sociedade, pois é nesse espaço que crianças e jovens passam boa parte de suas vidas. Objetiva-se compreender os conhecimentos de professores da educação básica sobre feminismo e machismo, assim como as práticas educativas que desenvolvem para trabalhar questões de gênero. Realizou-se uma pesquisa qualitativa, do tipo estudo de caso, em uma escola pública municipal da cidade de Fortaleza, no estado do Ceará, com seis professores da educação básica. Amparado metodologicamente na história oral temática, os dados foram coletados por intermédio de entrevista híbridas - gravadas, transcritas, textualizadas e validadas. Constatou-se o parco conhecimento dos professores acerca dos construtos machismo e feminismo, bem como a falta de formações continuadas que ensejem debates sobre a temática; prevalência de uma cultura de educação escolar que enseja ênfase no aprendizado de conteúdos previamente elaborados e reprodução de valores socialmente elaborados sem a devida criticidade e problematização. Evidenciam-se práticas educativas cotidianas das professoras frente às situações de conflito e discriminação no que concerne a questão de gênero, que podem contribuir para a disseminação de atitudes machistas e preconceituosas. Tais aspectos repercutem em uma pedagogia tradicional e conservadora que se mostra incapaz de mediar o desenvolvimento da práxis pedagógica crítica, que aborda o respeito à diversidade em relação às sexualidades.

Palavras-chave


Feminismo. Machismo. Educação. Escola.

Texto completo:

PDF

Referências


BARDIN, L. Análise de Conteúdo. Lisboa, Portugal; Edições 70, LDA, 2009.

BENTO, Berenice. Na escola se aprende que a diferença faz a diferença. Estudos Feministas, v.19, n.2, Florianópolis, 2011. Disponível em: . Acesso em: 10 jul 2017.

FERNÁNDEZ, A. A mulher escondida na Professora. Porto Alegre: Artes Médicas, 1994.

FIALHO, Lia Machado Fiuza; NASCIMENTO, Lorena Brenda Santos. O que os gestores escolares da rede pública entendem sobre gênero? RPGE– Revista on line de Política e Gestão Educacional, v.21, n.esp.2, p. 927-945, Araraquara, 2017. Disponível em: . Acesso em: 04. Jan. 2018.

FIALHO, L, M; NASCIMENTO, L, B, S; XEREZ, A, S, P. O Que as Professoras da Educação Básica Sabem sobre Gênero? Cadernos de Pesquisa: Pensamento Educacional, v. 11, n. 27, p.63-79, Curitiba, 2016. Disponível em: . Acesso em: 04. Jan. 2018.

FLICK, U. Introdução à pesquisa qualitativa. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2009.

FREITAS, Sônia Maria de. História Oral: possibilidades e procedimentos. 2. ed. São Paulo: Associação Editorial Humanitas, 2006.

LEONE, E. T; BALTAR, P. A mulher na recuperação recente do mercado de trabalho brasileiro. Revista Brasileira de Estudos de População. v. 25, n. 2, p. 233-249, São Paulo, 2008. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbepop/v25n2/v25n2a03.pdf. Acesso em: 10 jul 2017.

LOURO, Guacira Lopes. Gênero, sexualidade e educação: uma perspectiva pós-estruturalista. Petrópolis: Vozes, 1997.

MARTINS, B. S. Feminismo e Educação: Um desafio do passado ou uma questão repensada. Nucleus Revista Científica da Fundação Educacional de Ituverava. São Paulo. v.2, n.1 abr./out., 2004.

MEHHY, J, C. S. B.; HOLANDA, F. História oral: como fazer, como pensar. São Paulo: Contexto, 2007.

OBSERVATÓRIO SOCIAL. Revista E M. Florianópolis: Bangraf, 2004. Disponível em: http://www.observatoriosocial.org.br/download/emrevista5.pdf. Acesso em: 09. Abr. 2015

PINTO, Céli Regina Jardim. Feminismo, história e poder. Revista de Sociologia e Política. v.18, n.36, 2010, p. 15-23. Disponível em: . Acesso em: 16. Jan. 2018.

RODRIGUES, M. B. Interculturalidade: por uma genealogia da discriminação. Psicologia e Sociedade, v. 19, n. 3, 2007, p. 55-61. Disponível em: . Acesso em: 11 abr 2015

SANTANA, Dinamares Fontes de. Discriminação da mulher e do Direito do Trabalho: da proteção à promoção da igualdade. Conteúdo Jurídico, Brasília-DF: 13 fev. 2012. Disponível em: . Acesso em: 08 abr. 2015.

SAU, Victoria. Un diccionario ideológico feminista. Barcelona: Icaria, 1981.

SCOTT, P; LEWIS, L; QUADROS, T de. Gênero, Diversidade e Desigualdades na Educação: Interpretações e reflexões para Formação Docente. Pernambuco: Editora Universitária UFPE. 2009

SILVA, S. G. da. Preconceito e discriminação: As bases da violência contra a mulher. v. 30, n.3, Brasília, 2010. Disponível em: . Acesso em: 09. Abr. 2015

SOUZA, E de J; SILVA, J, P da; SANTOS, C. Educação sexual na escola: concepções e modalidades didáticas de docentes sobre sexualidade, gênero e diversidade sexual. Interfaces Científicas - Humanas e Sociais v.3, n.3, p. 51 – 62. Aracajú, 2015. Disponível em: . Acesso em: 04. Jan. 2018.




DOI: http://dx.doi.org/10.17564/2316-3828.2019v8n1p51-58


Indexada em: