Discursos virtuais sobre o concreto: o humano e o humanismo na sociedade da informação

Dostoiewski Mariatt de Oliveira Champangnatte, Renato da Silva, Rosane Cristina de Oliveira

Resumo


O objetivo deste trabalho é apresentar algumas reflexões históricas e filosóficas sobre o ser e o sentido de humano e humanismo na sociedade da informação. As relações humanas estabelecidas dentro da sociedade são definidoras do próprio conceito de ser humano. As relações humanas não são naturais, elas são históricas, sofrem transformações influenciadas pelos diversos contextos políticos, sociais, culturais e econômicos ao longo da história da civilização. Tendo por base o pensamento do filosófico inglês John Gray, analisamos os discursos produzidos sobre o humano e o humanismo e as relações estabelecidas e sentidas pelo homem numa sociedade tecnológica. Neste contexto, os vínculos estabelecidos no mundo virtual definem um novo tipo de humanismo que concede um conceito novo de homem. Compreender o tipo de ser humano que compõe a sociedade da informação é uma questão desafiadora.

Palavras-chave


Humano; Humanismo; Sociedade da Informação; Mundo Virtual; John Gray.

Texto completo:

PDF

Referências


BAUMAN, Zygmunt. Vida Líquida. Rio de Janeiro: Zahar, 2007.

CASTELLS, Manuel. A sociedade em rede: A era da informação: economia, sociedade e cultura. São Paulo: Editora Paz e Terra, 1999.

GOULD, Stephen Jay. “Introdução”. In: A falsa medida do homem. 2ª ed. – São Paulo: Martins Fontes, 1999, p. 3- 14.

GRAY, John.Cachorros de Palha: reflexões sobre humanos e outros animais. Editora Record. Rio de Janeiro – São Paulo, 2009.

HOBSBAWM, Eric. A Era das Revoluções: 1789-1848. 8. ed., Rio de Janeiro: Paz & Terra, 1981.

JOHNSON, Steve. Emergência: a dinâmica de rede em formigas. Cérebros, cidades e softwares. Jorge Zahar Editora, Rio de Janeiro, 2003.

LÉVY, Pierre. A cibercultura. Editora 34, São Paulo, 1999.

SANTAELLA, Lúcia. Linguagens líquidas na era da mobilidade. São Paulo: Paulus, 2007.

SENNETT, Richard. A corrosão do caráter: conseguências pessoais do trabalho no novo capitalismo. Editora Record. Rio de Janeiro – São Paulo, 1999.




DOI: http://dx.doi.org/10.17564/2316-3828.2019v8n1p23-34


Indexada em: