DIREITOS HUMANOS DAS MULHERES E DAS PESSOAS LGBT: A RELAÇÃO AGRIDOCE ENTRE GÊNERO E EDUCAÇÃO EM MEIO A DESAFIOS CONTEMPORÂNEOS

Matheus Estevão Ferreira da Silva, Talita Santana Maciel, Tânia Suely Antonelli Marcelino Brabo

Resumo


O presente artigo, resultado de uma pesquisa colaborativa entre membros do Núcleo de Gênero e Diversidade Sexual na Educação (NUDISE) em nível de graduação e pós-graduação stricto sensu, tem como objetivo compreender a objeção, instaurada recentemente nos debates educacionais, em torno da presença das discussões de natureza de gênero e das sexualidades na educação. Para tal, a partir de revisão bibliográfica e análise documental, traz-se brevemente a construção da categoria social de gênero, do ponto de vista historiográfico e genealógico, junto aos Movimentos Feminista e LGBT, sendo adotada e constantemente ressignificada/desenvolvida para explicar e denunciar a situação subalterna e abjeta que tais sujeitos e grupos sociais permaneceram ao longo da história humana e, assim, crucial para o advento global recente de reconhecimento da cidadania e dos direitos das mulheres e da diversidade sexual e de gênero como os mais novos direitos humanos. Ressalta-se as mobilizações e articulações nas políticas públicas nacionais com o compromisso jurídico e social aos documentos e tratados internacionais de direitos humanos, com ênfase no quadro das políticas educacionais, para a inserção de discussões sobre as temáticas de gênero e sexualidades na educação brasileira e a refutação do movimento testemunhado nos últimos anos, organizado principalmente por setores religiosos, à tais medidas de promoção, reparação e cumprimento de direitos humanos violados historicamente.

Palavras-chave


Educação. Direitos Humanos. Gênero. Sexualidades. Políticas Públicas.

Texto completo:

PDF (Português (Portugal))

Referências


BARREIRO, A.; MARTINS, F. H. Bases e fundamentos legais para a discussão de gênero e sexualidade em sala de aula. Leitura: Teoria & Prática, v. 34, n. 68, p. 93-106, 2016.

BEAUVOIR, S. O segundo sexo: os fatos e os mitos. 3. ed. São Paulo: Difel, 1975.

BRABO, T. S. A. M. Democratização da escola sob uma perspectiva de gênero: um novo desafio. Revista ORG & DEMO, v. 5, n. 1, p. 55-78, 2004.

BRABO, T. S. A. M. Movimentos sociais e educação: feminismo e equidade de gênero. In: DAL RI, N. M.; BRABO, T. S. A. M. (Org.). Políticas educacionais, gestão democrática e movimentos sociais. Marília: Oficina Universitária/Cultura Acadêmica, 2015. p. 109-128.

CARVALHO, M. E. P.; RABAY, G.; BRABO, T. S. A. M. Direitos humanos das mulheres e das pessoas LGBT: inclusão da perspectiva da diversidade sexual e de gênero na educação e na formação docente. In: FERREIRA, L. F. G.; ZENAIDE, M. N. T.; DIAS, A. A. Direitos humanos na educação superior: subsídios para educação em diretos humanos na pedagogia. João Pessoa: Editora Universitária da UFPB, 2010. p. 231-276.

CARVALHO, M. E. P. Feminismo e construção da cidadania das mulheres: avanços e desafios nos campos da educação, trabalho e política no início do século XXI. In: BRABO, T. S. A. M. Gênero, educação e política: múltiplos olhares. São Paulo: Icone, 2010. p. 11-34.

CASCAIS, A. F. Um nome que seja seu: dos estudos gays e lésbicos à teoria queer. In: SANTOS, A. C. Indisciplinar a teoria: estudos gays, lésbicos e queer. Lisboa: Fenda, 2004. p. 21-90.

CASTELLS, M. A sociedade em Rede. 2. ed. São Paulo: Paz e Terra, 1999.

DESLANDES, K. Formação de professores e direitos humanos: construindo escolas promotoras de igualdade. Belo Horizonte: Autêntica, 2015.

DIÓGENES, E. M. N.; ROCHA, M. C. J.; BRABO, T. S. A. M. Os movimentos feministas brasileiros na luta pelos direitos das mulheres. In: BRABO, T. S. A. M. Educação, Mulheres, Gênero e Violência. Marília: Oficina Universitária; São Paulo: Cultura Acadêmica, 2015. p. 305-322.

FURLANI, J. “Ideologia de Gênero"? Explicando as confusões teóricas presentes na cartilha”. Versão Revisada 2016. Florianópolis: FAED, UDESC. Laboratório de Estudos de Gênero e Família, 2016. Disponível em: . Acesso em: 21 ago. 2016.

GORISCH, P. C. V. de S. O reconhecimento dos direitos LGBT como direitos humanos. 2013. 102f. Dissertação (Mestrado em Direito Internacional) – Universidade Católica de Santos, Santos-SP, 2013.

PATRIOTA, Tania. Relatório da conferência internacional sobre população e desenvolvimento-plataforma de Cairo. 1994. Disponível:. Acesso em: 10 mai. 2017.

PEDRO, J. M. Traduzindo o debate: o uso da categoria gênero na pesquisa histórica. História, São Paulo, v. 24, n. 1, p. 77-98, 2005.

SAMARA, E. M.; SOHIET, R.; MATOS M. I. S. Gênero em debate: trajetória e perspectivas na historiografia contemporânea. São Paulo: EDUC, 1997.

SILVA, M. E. F da. BRABO, T. S. A. M. A introdução dos papéis de gênero na infância: brinquedo de menina e/ou de menino?. Revista Trama Interdisciplinar, v. 7, n. 3, 2017.

SILVEIRA, E. L. Édipo (não é) rei: foucault, Butler e o sexo em discurso. 2016. 120f. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Centro de Comunicação e Expressão, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2016.

SUÁREZ, M. Enfoques feministas e antropologia. In: AGUIAR, N. Gênero e ciências humanas. Rio de Janeiro: Rosa dos Tempos, 1995. p. 31-48.




DOI: http://dx.doi.org/10.17564/2316-3828.2019v7n2p157–168


Indexada em: