COMPARTILHANDO EXPERIÊNCIAS SOBRE O “ARMÁRIO”: AS CONVERSAS ONLINE COMO PROCEDIMENTO METODOLÓGICO DA PESQUISA HISTÓRICO-CULTURAL NA CIBERCULTURA

Dilton Ribeiro do Couto Junior, Helenice Mirabelli Cassino Ferreira, Maria Luiza Magalhães Bastos Oswald

Resumo


Fruto de pesquisa de doutorado recentemente concluída, este texto propõe discutir a importância das conversas online como procedimento metodológico da pesquisa histórico-cultural na cibercultura. O trabalho foi fundamentado teórico e metodologicamente nos conceitos de dialogismo e alteridade de Mikhail Bakhtin, fundamentais na interpretação do material empírico produzido com um grupo de jovens no Facebook que não se identifica com a heterossexualidade. Gênero, sexualidade e as experiências no/com o “armário” foram alguns dos temas discutidos com os sujeitos ao longo do trabalho de campo, evidenciando a centralidade das conversas online no estreitamento dos vínculos sociais e afetivos entre/com o grupo de jovens internautas.

Palavras-chave


“armário”; metodologia; dialogismo; alteridade.

Texto completo:

PDF

Referências


AGAMBEN, Giorgio. O que é contemporâneo? e outros ensaios. Tradução de Vinícius Nicastro Honesto. Chapecó, SC: Argos, 2009.

AMORIM, Marilia. Cronotopo e exotopia. In: BRAIT, Beth (Org.). Bakhtin: outros conceitos-chave. São Paulo: Contexto, 2008, p. 95-114.

BAKHTIN, Mikhail. Estética da criação verbal. Tradução de Paulo Bezerra. 6. Ed. São Paulo: Martins Fontes, 2011.

______. Problemas da poética de Dostoiévski. Tradução de Paulo Bezerra. 4. Ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2008.

BERLANT, Lauren; WARNER, Michael. Sex in public. Critical Inquiry, Chicago, v. 24, n. 2, p. 547-566, 1998.

BRITZMAN, Deborah. O que é esta coisa chamada amor: identidade homossexual, educação e currículo. Revista Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 21, n. 1, p. 71-96, jan./jun. 1996. Disponível em: . Acesso em: 10 abr. 2017.

BUTLER, Judith. Critically queer. GLQ: A Journal of Lesbian and Gay Studies, v. 1, n. 1, p. 17-32, nov. 1993.

CASTELLS, Manuel. Redes de indignação e esperança: movimentos sociais na era da internet. Tradução de Carlos Alberto Medeiros. Rio de Janeiro: Zahar, 2013.

CORNEJO, Giancarlo. A guerra declarada contra o menino afeminado. Tradução de Larissa Pelúcio. In: MISKOLCI, Richard. Teoria queer: um aprendizado pelas diferenças. 2. Ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2013, p. 73-82.

COUTO JUNIOR, Dilton Ribeiro. Etnografia virtual e as contribuições de Mikhail Bakhtin na Pesquisa com internautas. Revista Teias, Rio de Janeiro, v. 14, n. 31, p. 83-94, maio/ago. 2013. Disponível em: . Acesso em: 2 jun. 2017.

FERREIRA, Helenice Mirabelli Cassino. Dinâmicas de uma juventude conectada: a mediação dos dispositivos móveis nos processos de aprender-ensinar. Tese de Doutorado (Educação) apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Educação da UERJ, 2014.

FREITAS, Maria Teresa de Assunção. A abordagem sócio-histórica como orientadora da pesquisa qualitativa. Cadernos de Pesquisa, n. 116, p. 21-39, jul. 2002. Disponível em: . Acesso em: 2 jun. 2017.

______. A perspectiva sócio-histórica: uma visão humana da construção do conhecimento. In: FREITAS, Maria Teresa de Assunção; JOBIM E SOUZA, Solange; KRAMER, Sônia. (Orgs.). Ciências humanas e pesquisa: leituras de Mikhail Bakhtin. São Paulo: Cortez, 2007, p. 26-38.

GERALDI, João Wanderley. Os perigos do amor. RevistAleph, Niterói, ano XIII, n. 25, p. 1-11, maio 2016. Disponível em: . Acesso em: 16 abr. 2017.

JOBIM E SOUZA, Solange; ALBUQUERQUE, Elaine Deccache Porto. A pesquisa em ciências humanas: uma leitura bakhtiniana. Bakhtiniana, São Paulo, v. 7, n. 2, p. 109-122, jul./dez. 2012. Disponível em: . Acesso em: 27 abr. 2017.

______. Bakhtin e Pasolini: vida, paixão e arte. In: FREITAS, Maria Teresa de Assunção (Org.). Educação, arte e vida em Bakhtin. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2013, p. 47-68.

JOBIM E SOUZA, Solange; KRAMER, Sonia. Experiência humana, história de vida e pesquisa: um estudo da narrativa, leitura e escrita dos professores. In: KRAMER, Sonia; JOBIM E SOUZA, Solange (Orgs.). História de professores: leitura, escrita e pesquisa em educação. São Paulo: Ática, 2003, p. 13-42.

LEMOS, André; LÉVY, Pierre. O futuro da internet: em direção a uma ciberdemocracia planetária. São Paulo: Paulus, 2010.

LOURO, Guacira Lopes. Gênero e sexualidade: pedagogias contemporâneas. Pro-Posições, Campinas, v. 19, n. 2, p. 17-23, maio/ago. 2008. Disponível em: . Acesso em: 28 abr. 2017.

MISKOLCI, Richard. Comentário [sobre A Epistemologia do Armário de Eve Sedgwick]. Cadernos Pagu, Campinas, v. 28, p. 55-63, jan./jun. 2007. Disponível em: . Acesso em: 2 jun. 2017.

______. A teoria queer e a sociologia: o desafio de uma analítica da normalização. Sociologias, Porto Alegre, ano 11, n. 21, p. 150-182, jan./jun. 2009. Disponível em: . Acesso em: 27 abr. 2017.

NUNES, Maria Fernanda Rezende; KRAMER, Sonia. Linguagem e alfabetização: dialogando com Paulo Freire e Mikhail Bakhtin. Revista Contemporânea de Educação, Rio de Janeiro, v. 6, n. 11, p. 26-47, jan./jul. 2011. Disponível em: . Acesso em: 16 abr. 2017.

OSWALD, Maria Luiza Magalhães Bastos; COUTO JUNIOR, Dilton Ribeiro; WORCMAN, Karen. Apresentação: potencialidades e desafios das escritas de si na internet. In: OSWALD, Maria Luiza Magalhães Bastos; COUTO JUNIOR, Dilton Ribeiro; WORCMAN, Karen (Orgs.). Narrativas digitais, memórias e guarda. Curitiba: Editora CRV, 2014, p. 13-23.

PASSOS, Mailsa Carla Pinto; PEREIRA, Rita Marisa Ribes. Sobre encontros e amizades: a horizontalidade na pesquisa em educação. In: LEITE, Miriam; GABRIEL, Carmem Teresa (Orgs.). Linguagem, discurso, pesquisa e educação. Petrópolis, RJ: De Petrus; Rio de Janeiro: FAPERJ, 2015, p. 149-169.

PEREIRA, Rita Marisa Ribes. Pesquisa com crianças. In: PEREIRA, Rita Marisa Ribes; MACEDO, Nélia Mara Rezende (Orgs.). Infância em pesquisa. Rio de Janeiro: Nau, 2012, p. 59-86.

______. Por uma ética da responsividade: exposição de princípios para a pesquisa com crianças. Currículo Sem Fronteiras, v. 15, n. 1, p. 50-64, jan./abr. 2015. Disponível em: . Acesso em: 20 abr. 2017.

POCAHY, Fernando. Notas sobre homofobia/heterossexismo. In: PASINI, Elisiane (Org.). Educando para a diversidade. Porto Alegre: nuances, 2007, p. 13-16.

PRECIADO, Paul Beatriz. Manifesto contrassexual: práticas subversivas de identidade sexual. Tradução de Maria Paula Gurgel Ribeiro. São Paulo: n-1 Edições, 2014.

PRIMO, Alex. Interações mediadas e remediadas: controvérsias entre as utopias da cibercultura e a grande indústria midiática. In: PRIMO, Alex (Org.). Interações em rede. Porto Alegre: Editora Sulina, 2013, p. 13-32.

RECUERO, Raquel. A conversação em rede: comunicação mediada pelo computador e redes sociais na internet. Porto Alegre: Sulina, 2012.

______. Redes sociais no ciberespaço: uma proposta de estudo. In: CONGRESSO NACIONAL DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE ESTUDOS INTERDISCIPLINARES DA COMUNICAÇÃO, 28., 2005, Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro: ECO, 2005, 15p. Disponível em: . Acesso em: 20 abr. 2017.

SANTOS, Edméa. A cibercultura e a educação em tempos de mobilidade e redes sociais: conversando com os cotidianos. In: FONTOURA, Helena Amaral; SILVA, Marco (Orgs.). Práticas pedagógicas, linguagem e mídias: desafios à Pós-graduação em Educação em suas múltiplas dimensões. Rio de Janeiro: ANPEd Nacional, 2011, p. 75-98.

SCHLICHTER, Annette. Contesting “straights”: “lesbians”, “queer heterosexuals” and the critique of heteronormativity. Journal of Lesbian Studies, v. 11, n. 3-4, p. 189-201, 2007.

SEDGWICK, Eve Kosofsky. A epistemologia do armário. Cadernos Pagu, Campinas, n. 28, p. 19-54, jan./jun. 2007. Disponível em: . Acesso em: 24 abr. 2017.




DOI: http://dx.doi.org/10.17564/2316-3828.2017v6n1p23-34


Indexada em: