Desatenção, hiperatividade e impulsividade: reflexões críticas sobre o TDAH

Dinamara Garcia Feldens, Rafael Santos Barboza, Barbara Távora Martins, Luana Garcia Fusaro, Mary Barreto Dória

Resumo


A partir da importância adquirida pelas discussões sobre o transtorno do déficit de atenção com hiperatividade (TDAH) na contemporaneidade, este trabalho busca contribuir para que as reflexões acerca do tema não cessem ou se naturalizem. Discute-se, assim, a noção entre corpo, disciplinarização, escola e modos de subjetivação, com ênfase de investigação nas três categorias sintomáticas principais do TDAH: desatenção, hiperatividade e impulsividade. O referencial teórico-metodológico utilizado ampara-se nas relações de saber-poder trabalhadas por Foucault. Considera-se que a função do diagnóstico de TDAH envolve menos uma busca pela autonomia do sujeito frente a seu mal-estar e mais um mecanismo que captura a subjetividade do estudante, diminuindo as possibilidades de diferença no contexto escolar.


Palavras-chave


Psicopatologia, Contemporaneidade, TDAH, Escola, Disciplina.

Texto completo:

PDF

Referências


AMERICAN PSYCHIATRIC ASSOCIATION et al. Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais-: DSM-5. Artmed Editora, 2014.

BENCZIK, E. B. P. Transtorno de déficit de Atenção. Casa do Psicólogo, 2000.

BUCHIANERI, L. G. C. Velocidade e Tédio: o paradoxo da adolescência no mundo contemporâneo. 119f. 2012. Tese (Doutorado em Psicologia) - Universidade Estadual Paulista-Faculdade de Ciências e Letras, Assis, 2012.

FELDENS, D. G. Os lugares da contemporaneidade e a escola de controle: cartografias do poder na educação. Educação Unisinos, v. 12, n. 3, p. 238-242, 2008.

FOUCAULT, M. Microfísica do Poder. Rio de Janeiro: Graal, 1995.

FOUCAULT, M. Resumo dos cursos do Collège de France (1970 – 1982). Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1997.

GUIRADO, M. Poder indisciplina: os surpreendentes rumos da relação do poder. In: AQUINO, J.G. (Org.). Indisciplina na escola: alternativas teóricas e práticas. São Paulo: Summus Editorial, 1996. p. 57 a 72.

KASTRUP, V. O devir-criança e a cognição contemporânea. Psicologia: reflexão e crítica, v. 13, n. 3, p. 373-382, 2000.

KOHAN, W. O. Infância – Entre educação e filosofia. Belo Horizonte: Autêntica, 2003.

LIMA, C. Somos todos desatentos? O TDA/H e a construção de bioidentidades. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2005.

MORAES, R. B. de S. “...como se fosse lógico”: considerações críticas da medicalização do corpo infantil pelo TDAH na perspectiva da sociedade normalizada. 401f. 2012. Tese (Doutorado em Administração Pública e Governo) - Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas, São Paulo, 2012.

ROLNIK, S. Uma insólita viagem à subjetividade: fronteiras com a ética e a cultura. 1997. Disponível em: . Acesso em: 10 de Janeiro de 2015.

VEIGA-NETO, A. Foucault & a educação. Autêntica, 2003.




DOI: http://dx.doi.org/10.17564/2316-3828.2016v4n3p159-168


Indexada em: