A TV PÚBLICA E SEU COMPROMISSO COM A EDUCAÇÃO PÚBLICA: O CASO ESCOLA 2.0

Siderly do Carmo Dahle Almeida

Resumo


Entre as invenções mais importantes do século XX, figura a televisão e a programação de sua grade de canais vem exercendo sólida influência no cotidiano das pessoas, especialmente se for examinado seu impacto no que concerne aos aspectos da formação das atitudes, dos valores e dos comportamentos humanos. Esta pesquisa tem por intenção apresentar e analisar o Programa “Escola 2.0”, idealizado e produzido por uma televisão pública - a TV Cultura, da Fundação Padre Anchieta (FPA). Para poder realizar uma produção voltada para um público tão específico, a FPA conta com o Núcleo Cultura Educação, que foi criado para acompanhar os avanços tecnológicos da contemporaneidade, integrando mídias para produzir e disseminar conteúdos na área educacional, cuja metodologia de produção educativa em multimídias é descrita e analisada neste estudo. O Escola 2.0 é resultado de uma política de educação que visa a melhoria na qualidade do ensino e da aprendizagem dentro da escola pública. A pesquisa tem como escopo averiguar criticamente as mensagens veiculadas e foi embasada em três diretrizes, a saber: as linguagens do programa, os seus conteúdos gerais e os seus conteúdos escolares. Com o olhar nas categorias elencadas no objetivo deste trabalho, “Construção de Conhecimento” e “Aprendizagem de Valores”, foram eleitas cinco subcategorias que traduzem efetivamente a preocupação com a qualidade da educação, sendo elas: “Currículo”, “Tecnologia” e “Integração de Saberes” e “Diálogo” e “Liberdade”. Nesse contexto de televisão pública comprometida com a qualidade dos temas escolares, a pesquisadora analisa os episódios apresentados na temporada 2010 do Programa.

Palavras-chave


Televisão Pública - Escola Pública - TV Cultura - Programa Escola 2.0 - Currículo escolar.

Texto completo:

PDF

Referências


¬¬¬ALMEIDA, Fernando José de. Folha explica Paulo Freire. São Paulo: Publifolha, 2009.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2000.

BOURDIEU, Pierre. Sobre a televisão: seguido de, A influência do jornalismo; e, Os Jogos Olímpicos. Rio de Janeiro: J. Zahar, 1997.

CASTELLS, Manuel. Sociedade em rede. São Paulo: Paz e Terra, 1999.

FISCHER, Rosa Maria Bueno. Televisão & educação: fruir e pensar a TV. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2001.

GIMENO SACRISTÁN, J. O currículo: os conteúdos do ensino ou uma análise prática. In: _______.; PÉREZ GÓMEZ, A. I. Compreender e transformar o ensino. 4. ed. Porto Alegre: ArtMed, 1998.

GIL, Antonio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. 5. ed. São Paulo: Atlas,1999.

HOINEFF, Nelson. A nova televisão: desmassificação e o impasse das grandes redes. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 1996.

LÉVY, Pierre. Cibercultura. São Paulo: Ed. 34, 1999.

MARKUN, Paulo. Educação para um país mais justo e eficiente. In: ALMEIDA, Fernando José de. Cultura é educação. São Paulo: Fundação Padre Anchieta, 2010.

MORIN, Edgar. Os sete saberes necessários à educação do futuro. 10. ed. São Paulo: Cortez, 2003.

OLIVEIRA, M. M. Como fazer pesquisa qualitativa. Petrópolis, Vozes, 2007.

RUDIO, Franz Victor. Introdução ao projeto de pesquisa científica. 27. ed. Petrópolis: Vozes, 2000.

SEN, Amartya Kumar. Desenvolvimento como liberdade. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 2. ed. Porto Alegre: Bookman, 2001.




DOI: http://dx.doi.org/10.17564/2316-3828.2016v4n3p69-80


Indexada em: