Formação inicial de professor e prática reflexiva: um estudo no contexto das teorias motivacionais contemporâneas

Marilene Batista da Cruz Nascimento, Bettina Steren dos Santos, Josevânia Teixeira Guedes

Resumo


Esta pesquisa tem como objetivo discutir as inter-relações entre as teorias contemporâneas motivacionais no contexto da formação inicial de professores, visando compreender os significados e as peculiaridades desse cenário. Trata-se de um estudo teórico, de cunho bibliográfico, que evidencia as contribuições dos processos motivacionais para a formação docente. A motivação retrata um processo que antecede a ação humana, de forma intrínseca e extrínseca, e possibilita inferir que o saber docente não se reduz, exclusiva ou principalmente, a processos mentais, cujo suporte é a atividade cognitiva dos indivíduos, mas é também um saber social que se manifesta nas relações complexas entre docentes e estudantes. Por fim, concluiu-se que há uma relação intrínseca entre a ciência pedagógica, a prática reflexiva e a motivação como instrumento para uma formação diferente da que temos atualmente. Realidade essa que justifica a presença das teorias motivacionais na formação básica dos professores.


Palavras-chave


Formação inicial; Prática reflexiva; Processos motivacionais

Texto completo:

PDF

Referências


ARROYO, Miguel G. Oficio de mestre: imagens e auto-imagens. Petrópolis: Vozes, 2000.

AZZI, Sandra. Trabalho docente: autonomia didática e construção do saber pedagógico. In: PIMENTA, Selma Garrido (Org.). Saberes pedagógicos e atividade docente. São Paulo: Cortez, 2000.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, nº 9.394, de 1996. Brasília, 1997.

ELLIOTT, Emily; DWECK, Carol S. Goals: An approach to motivation and achievement. Journal of Personality and Social Psychology, Washington DC, v.54, n.1, p. 5-12. Jan.2005.

FOSSATTI, Paulo. A motivação como elemento substancial para a produção de sentido na docência. In. SANTOS, B. S. dos; CARREÑO, Á. B. A motivação em diferentes cenários. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2010.

HUERTAS, Juan António. Motivación: querer aprender. Buenos Aires: AIQUE: 2001.

KUENZER, Acacia Zeneida. A formação de educadores no contexto das mudanças no mundo do trabalho: novos desafios para as faculdades de educação. Educ. Soc. vol. 19 n. 63 Campinas Aug. 1998. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0101-733019980 002 00007. Acesso em: 16 jun. 2011.

LENS, Willy. Future time perspective and motivation: Theory and research method. Louvain: Presses Universitaires de Louvain, 1993.

NUTTIN, Joseph. Théorie de la motivation humaine. Paris: Presses Universitaires de France, 1985.

PEREIRA, Marcos Villela. Sociedade, trabalho e motivação na vida contemporânea. In. SANTOS, B. S. dos; CARREÑO, Á. B.. A motivação em diferentes cenários. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2010.

PIMENTA, Selma Garrido. Saberes pedagógicos e atividade docente. 4 ed. São Paulo: Cortez, 2005.

SACRISTÁN, J. G. Consciência e acção sobre a prática como libertação profissional dos professores. In: NÓVOA, António. Profissão professor. Portugal: Porto, 1999.

SANTOS, B. S. dos. Indicadores de qualidade e motivação discente. In: Morosini, Marilia Costa. Qualidade na educação superior: reflexões e práticas investigativas. Porto Alegre: Edipucrs, 2011.

SANTOS, B. S. dos; ANTUNES, D. D. Vida adulta, processos motivacionais e diversidade. Educação, Porto Alegre: PUCRS, ano XXX, v. 61, n.1, p. 149-164, jan./abr. 2007a.

SANTOS, B. S. dos; STOBÄUS, C. D.; MOSQUERA, J. J. M.; Processos motivacionais em contextos educativos. Revista Educação, n. especial, ano XXX. Porto Alegre, 2007b.

SCHÖN, Donald A. Educando o profissional reflexivo: um novo design para o ensino e a aprendizagem. Porto Alegre: Artmed, 2008.

TIMM. Edgar Zanini. Refletindo sobre a motivação docente: sou professor, porque isso me faz bem. In. SANTOS, B. S dos; CARREÑO, Á. B. A motivação em diferentes cenários. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2010.




DOI: http://dx.doi.org/10.17564/2316-3828.2014v2n3p159-168


Indexada em: