A educação profissional no Brasil: os meandros de sua formação e a atuação do estado

Desire Luciane Dominschek

Resumo


Neste trabalho, nos dedicamos a apresentar alguns elementos necessários para a compreensão e análise da história do ensino profissional no Brasil. Para tanto, apresentamos algumas características concernentes aos trabalhos de caráter manual que eram realizados no país a partir da República, bem como as relações e atuações do Estado na modalidade do ensino técnico e profissional. Para esta análise utilizaremos as bases teóricas dos autores - Mészáros, Cury, Weistein, Cunha, Sanfelice. Nos primórdios do Império, permaneceu a mentalidade conservadora desenvolvida ao longo dos três séculos de duração do período colonial. Tal mentalidade pautava-se em destinar o ensino dos ofícios manuais aos humildes, pobres e desvalidos, continuando, portanto, o processo discriminatório em relação às ocupações antes atribuídas somente aos escravos. A humanidade, durante os primeiros estágios da civilização, considerava a aprendizagem de ofícios como inteiramente dissociada dos processos de educação, encarando-a como simples forma de trabalho, sem nenhuma expressão educativa. A educação de conhecimentos profissionais ainda estava situada fora dos estabelecimentos escolares. Consideremos importante iniciar trazendo neste momento contribuições da historiografia da educação brasileira para a discussão da educação profissional, objetivamos compreender a concepção de ensino destas escolas, a análise se situa no amparo documental de “O Escudo” jornal produzido por alunos das escolas do SENAI.

 

 

 


Palavras-chave


História da educação profissional; Estado e políticas; SENAI; formação

Texto completo:

PDF

Referências


AZEVEDO. F. A cultura brasileira. 5 ed. São Paulo: Melhoramentos, 1971.

COUTINHO, C. N. A democracia na batalha das ideias e nas lutas políticas do Brasil de hoje. In: FÁVERO, O; SEMERARO, G. Democracia e construção do público no pensamento educacional brasileiro. 2a ed. Petrópolis/RJ: Vozes, 2003.

CUNHA, L. A. O ensino industrial-manufatureiro no Brasil. In: Revista Brasileira de Educação. ANPED, n.14, maio/ago., 2000, p. 89-107.

CUNHA, L. A. O Ensino industrial-manufatureiro no Brasil: origem e desenvolvimento. Coleção Políticas Públicas de Trabalho, Emprego e Geração de Renda. Convênio: ABC/TEM/SEFOR- FLCSO/Brasil (1999-2000).

CURY, J. Estado e políticas de financiamento . In : Revista Educação e Sociedade Educação escolar: os desafios da qualidade, n. 100, v. 28, número especial, 2007.

DOMINSCHEK, D. L. O Escudo a alma do SENAI-Pr (1949 á 1962).Dissertação (mestrado), UFPR, Curitiba, 2008.

FONSECA, C. S. História do ensino industrial no Brasil. Rio de Janeiro: SENAI/DPEA, 1986.

GILES, T. R. História da educação. São Paulo: EPU, 1987.

JACOMELI, M. R. M. PCNs e Temas Transversais: análise histórica das políticas educacionais brasileiras. Campinas/SP: Alínea Editora, 2007.

LOMBARDI, J.C. Reflexões sobre educação e ensino na obra de Marx e Engels – Campinas, SP: [s.n.], 2010.

MÉSZÁROS, I. A educação para além do capital. São Paulo/SP: Boitempo, 2005.

PANDINI, S. A escola de aprendizes artífices do Paraná: viveiro de homens aptos e úteis (1910-1928). Curitiba, 2006 (Dissertação de Mestrado), UFPR.

PARANHOS, A. O roubo da fala: origens da ideologia do trabalhismo no Brasil. São Paulo: Bontempo, 1999.

PERROT, M. Os excluídos da história: operários, mulheres e prisioneiros. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1988.

RODRIGUES, J. Celso Suckow da Fonseca e a sua “História do ensino industrial no Brasil”. Revista Brasileira de História da Educação, Sociedade Brasileira de História da Educação, n. 4, jul./dez. 2002.

ROMANELLI, O. História da Educação no Brasil: 1930-1973. Petrópolis: Vozes, 1984.

SANFELICE, J. L. Da escola pública estatal burguesa à escola democrática e popular: considerações historiográficas. In: LOMBARDI, J. C.; SAVIANI, D.; NASCIMENTO, M. I. M. (Orgs.). A escola pública no Brasil: história e historiografia. Campinas/SP: Autores Associados: HISTEDBR, 2005.

SAVIANI, D. Política e Educação no Brasil. São Paulo, Cortez Editora e Autores Associados, 1987.

WEISTEIN, B. (Re) formação da classe trabalhadora no Brasil (1920-1964). São Paulo: Cortez, 2000.

FONTES HISTÓRICAS

O ESCUDO - Órgão oficial dos alunos do SENAI. Curitiba: Oficina de Artes Gráficas da Escola do SENAI, 1949-1962.




DOI: http://dx.doi.org/10.17564/2316-3828.2014v2n2p81-91


Indexada em: