INTEGRAÇÃO DO HERBÁRIO TIRADENTES - AJU COMO FERRAMENTA DE PESQUISA NA ÁREA DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS.

Marcelo Brito de Melo, Ana Cristina de Almeida Teles Almeida Almeida teles, welligton patricio dos santos junior santos junior santos, vitor dos santos franca dos santos franca santos

Resumo


Sergipe apresenta a menor área dentre os Estados do Brasil, e por muitos anos sua flora foi delegada a pouco diversa, no entanto, conta com uma variedade de condições climáticas e ecológicas que permitem a ocorrência de diferentes fitofisionomias. Com um papel fundamental no desenvolvimento de pesquisas, armazenamentos de espécies e crescimento da botânica, desde 2014, o Herbário Tiradentes (AJU) contribui com o conhecimento da flora deste lugar e a distribuição das espécies. O AJU tem contribuído para a capacitação de alunos na área de Botânica, através de estágios supervisionados, iniciação científica e suporte para outros cursos de graduação como Farmácia e Programas de Pós-Graduação da Universidade Tiradentes (PPG/UNIT). O presente trabalho teve como principal objetivo promover o conhecimento da diversidade florística do estado de Sergipe e de regiões adjacentes, visando contribuir para a capacitação de alunos na área de Botânica, com ênfase em coleções botânicas e sistemática. Atualmente, existem 1100 espécimes de plantas e mais de 100 famílias como: Asteraceae, Apocynaceae, Anarcadiaceae, Cyperaceae, Fabaceae, Malvaceae, Myrtaceae e Poaceae.

Palavras-chave


Coleções biológicas. Exsicatas. Florística. Herbário. Materiais botânicos. Nordeste brasileiro. Taxonomia.

Texto completo:

PDF

Referências


APG - The Angiosperm Phylogeny Group. An update of the Angiosperm Phylogeny Group classification for the orders and families of flowering plants: APG III. Botanical Journal of the Linnean Society, v. 161, p. 105–121, 2009.

FRANÇA, V.L.A & Cruz, M.T.S. (coord.). Atlas escolar de Sergipe – espaço geo-histórico e cultural. João Pessoa, Editora Grafset, 2007.

MONTEIRO, S. S. et al. A Conservação de Exsicatas em Herbários: Contribuição ao Manejo e Preservação. Rio de Janeiro, 2009.

MORI, S.A. et al. Manual de Manejo do Herbário Fanerogâmico. 2ª ed., Ilhéus, Centro de Pesquisas do Cacau, 1989.

OLIVEIRA, M. I. U. Inserção do Herbário Tiradentes (AJU) na pesquisa e ensino de ciências biológicas. Universidade Tiradentes, UNIT, Sergipe, 2016. (Documentos, Herbário AJU).

PEIXOTO, A. L. et al. Coleções botânicas: objetos e dados para a ciência. 2009.

SILVA, L. A. M. Manual do usuário do herbário UESC. Bahia, 2016.

SILVA, R. C. V.; FERREIRA, G. C. Levantamento de Meliaceae do herbário Lan. Belém, 1999.

SILVA, P. G. P. O ensino da botânica no ensino fundamental, um enfoque nos procedimentos metodológicos. 2008. Tese (doutorado); Universidade Estadual Paulista, Bauru, 2008.

SOUSA, I. J. O. et al. A diversidade da flora brasileira no desenvolvimento de recursos da saúde. Piauí, 2017.

STACE, C.A. 1994. Plant taxonomy and Biosystematics, 2nd ed. New York, Cambridge University Press. 264p. Thiers, B. 2015. Index Herbariorum: A global directory of public herbaria and associated staff. New York Botanical Garden's Virtual Herbarium. Disponível em: . Acesso em: 07 fev. 2018.