A RELAÇÃO ENTRE A NEUROCIÊNCIA E A PSICANÁLISE: UMA REFLEXÃO TEÓRICA

Yonã Freire Ferreira, Mara Dantas Pereira, Ana Beatriz dos Anjos Silva, Luana Souza Conceição, Petruska Passos Menezes

Resumo


O objetivo deste estudo é realizar uma reflexão sobre a neurociência e a psicanálise, explorando possibilidades de articulações entre estes domínios do conhecimento, com base nos pressupostos teóricos que apresentam a estruturação da neuropsicanálise. Nesse contexto, surgiu tímida entre os psicanalistas que arriscavam estudar a relação entre os conceitos e achados da psicanálise com pesquisas da neurociência, mais precisamente na década do cérebro em 94. Dessa forma, no meio de inúmeras atuações da neuropsicanálise vem fornecendo, sobreleva a aplicação da teoria psicanalítica para a compreensão do significado de deliberados sintomas presentes em pacientes neurológicos. Conclui-se que a relação entre a neurociência e a psicanálise apresenta eficácia e avanços na ótica da pesquisa e da clínica, desde que respeitando as peculiaridades de cada uma.

Palavras-chave


Neurociência; Psicanálise; Contemporaneidade.

Texto completo:

PDF

Referências


BARRETO, R. A. Contribuições da psicanálise à neurologia. Estudos de Psicanálise, v. 1, n. 46, p. 143–150, dez. 2016.

BOEKER, H. Psychoanalysis and Neuroscience: The Development of Neuropsychoanalysis. In: BOEKER, H.; HARTWICH, P.; NORTHOFF, G. (Eds.). . Neuropsychodynamic Psychiatry. Cham: Springer International Publishing, 2018. p. 19–48.

DAVIDOVICH, M. M.; WINOGRAD, M. Psicanálise e neurociências: um mapa dos debates. Psicologia em Estudo, v. 15, n. 4, p. 801–809, dez. 2010.

FAVERET, B. M. S. Neurociências e psicanálise: há possibilidade de articulação? Psicologia Clínica, v. 18, n. 1, p. 15–26, 2016.

GARCÍA, H. F. Neurociencias y psicoanálisis: consideraciones epistemológicas para una dialéctica posible sobre la subjetividad. Revista de la Asociación Española de Neuropsiquiatría, v. 31, n. 4, p. 661–678, dez. 2011.

KELMAN, M. S. Neurociencia, Psicoanálisis. Actualidades en psicología, v. 27, n. 114, p. 39–54, 2013.

KESSLER, R. J. Neuropsychoanalysis, Consciousness, and Creativity. Neuropsychoanalysis, v. 13, n. 2, p. 201–204, 1 jan. 2011.

LANDEIRA-FERNANDEZ, J.; CHENIAUX, E. Discussão de um tratamento psicanalítico sob a ótica das neurociências: a importância de sistemas implícitos e funções executivas no processo terapêutico. Ciências Humanas e Sociais em Revista, v. 30, n. 1, p. 13, 8 dez. 2009.

LYRA, C. E. DE S. O inconsciente e a consciência: da psicanálise à neurociência. Psicologia USP, v. 18, n. 3, p. 55–73, set. 2007.

PINHEIRO, E.; HERZOG, R. Psicanálise e neurociências: visões antagônicas ou compatíveis? Tempo psicanalitico, v. 49, n. 1, p. 37–61, jun. 2017.

SOLMS, M.; TURNBULL, O. H. What Is Neuropsychoanalysis? In: WEIGEL, S.; SCHARBERT, G. (Eds.). . A Neuro-Psychoanalytical Dialogue for Bridging Freud and the Neurosciences. Cham: Springer International Publishing, 2016. p. 13–30.

SOUSSUMI, Y. Tentativa de integração entre algumas concepções básicas da psicanálise e da neurociência. Psicologia Clínica, v. 18, n. 1, p. 63–82, 2006.

URREGO, S. G. C. Reflexiones sobre la relación entre las neurociencias y el psicoanálisis. Universitas Psychologica, v. 9, n. 3, p. 729–736, 2010.

WINOGRAD, M. Matéria pensante: a fertilidade do encontro entre psicanálise e neurociência. Arquivos Brasileiros de Psicologia, v. 56, n. 1, p. 21–34, jun. 2004.

WINOGRAD, M. Psicanálise, ciência cognitiva e neurociência: notas para uma interlocução sobre o corpo pensante. Psychê, v. 10, n. 19, p. 179–195, dez. 2006.