LIGA ACADÊMICA DE PSICOPATOLOGIA (LAPSI): EXPERIÊNCIA DE CRIAÇÃO DA PRIMEIRA LIGA DE PSICOLOGIA DA UNIT

Cleyson Avelino Militão

Resumo


As ligas acadêmicas são instâncias atuantes em diversos cursos universitários, contribuindo com o ensino, pesquisa e extensão acerca de determinada temática. A Liga Acadêmica de Psicopatologia (LAPSI) é um projeto desenvolvido por estudantes do curso de Psicologia, constituindo-se como a primeira liga acadêmica vinculada ao curso de Psicologia da Universidade Tiradentes. Desta forma, a LAPSI busca explorar o tripé acadêmico – ensino, pesquisa e extensão – agregando conhecimentos teóricos e práticos acerca do campo da Psicopatologia. Ao membro da Liga Acadêmica de Psicopatologia é proporcionado estudos e debates sobre temas pertinentes à área em questão, incentivando pesquisa científica e colaborando para a comunidade estudantil com palestras, simpósios, entre outras atividades abertas ao público, além de promover intervenções de caráter social. Além da oportunidade de desenvolver habilidades primordiais para inserção no mercado de trabalho. O objetivo deste relato de experiência é apresentar a LAPSI como uma entidade influente e própria, apresentando atividades já desenvolvidas e levando a apontar a(s) liga(s) acadêmica(s) como importantes projetos no contexto universitário.

Palavras-chave


Liga Acadêmica, Psicopatologia, Extensão Universitária.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Lei n. 9.394 de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Brasília, 20 dez. 1996.

CAVALCANTE, A. S. P. et al. As Ligas Acadêmicas na Área da Saúde: Lacunas do Conhecimento na Produção Científica Brasileira. Revista Brasileira de Educação Médica [online]., vol.42, n.1, 2018.

LAVIERI, C. A. Educação… Empreendedora?. In: LOPES, R. M. (org.). Educação Empreendedora: Conceitos, Modelos e Práticas. Editora Elsevier: Rio de Janeiro, 2010.

GUARANYS, L. R. Universidade Empreendedora: conceito em evolução, universidade em transformação. In: LOPES, R. M. (org.). Educação Empreendedora: Conceitos, Modelos e Práticas. Editora Elsevier: Rio de Janeiro, 2010.

OLIVEIRA, Y. R. O Instagram como Uma Nova Ferramenta para Estratégias Publicitárias. In: Intercom – Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação. XVI Congresso de Ciências da Comunicação na Região Nordeste. João Pessoa, 2014.

RODRIGUES, A. L. L. et al. Contribuições da Extensão Universitária na Sociedade. Cadernos de Graduação - Ciências Humanas e Sociais. [online]. vol. 1, n. 16, Aracaju, 2013.

SERPA JUNIOR, O. D. et al . A inclusão da subjetividade no ensino da Psicopatologia. Interface (Botucatu), Botucatu , v. 11, n. 22, p. 207-222, ago. 2007.

SILVA, M. F. et al. A PESQUISA NA FORMAÇÃO ACADÊMICA: APRENDER A PESQUISAR FAZENDO PESQUISA. III Congresso Nacional de Educação Ed. Realize. [Online]. Campina Grande, 2016.

TERRIM, S. et al. Empreendedorismo em saúde: relato de um modelo de Empresa Júnior em Medicina. Revista de Medicina, v. 94, n. 2, 2015.