UTILIZAÇÃO DA SIMULAÇÃO REALÍSTICA PARA DESENVOLVIMENTO DO SENSO CRÍTICO NO ESTUDANTE DE ENFERMAGEM, UMA REVISÃO INTEGRATIVA

Marcos Rodrigues Santos, Robson Wilson de Oliveira, Shirley Dósea dos Santos Naziazeno

Resumo


A criação das simulações realísticas (SR) como nova tecnologia educacional é um importante mecanismo facilitador do processo ensino-aprendizagem, surge como uma estratégia de educação para o docente, na construção de experiências que exijam o processo reflexivo do aluno, servindo como uma aproximação do campo da área. O objetivo deste estudo é identificar a partir da literatura como as simulações realísticas, sendo metodologia ativa, contribuem para o desenvolvimento do senso crítico ao aluno. Este estudo trata-se de uma revisão integrativa que buscou artigos indexados na base de dados da SCIELO, BVS e Google Acadêmico, para a pesquisa utilizou-se os Descritores em Ciências da Saúde (DECS): educação em enfermagem, ensino, materiais de ensino e simulação, intercalados de forma pareada pelo booleano “and”. A utilização das SR enriquece e consolida a aprendizagem refletindo em uma melhor qualidade no cuidado ao paciente, tendo como vantagens a possibilidade de adequação da prática à teoria, desenvolvimento da agilidade e pensamento crítico, maior confiança e segurança na prática clínica e enriquecimento da vivência clínica a partir de várias situações clínicas.

Palavras-chave


Educação Em Enfermagem, Ensino, Materiais De Ensino, Simulação.

Texto completo:

PDF (Português (Portugal))

Referências


BARRETO, Daniele Gomes et al. Simulação realística como estratégia de ensino para o curso de graduação em enfermagem: revisão integrativa. Revista Baiana de Enfermagem, v. 28, n. 2, 2014.

COSTA, Raphael Raniere de Oliveira. A simulação realística como estratégica de ensino-aprendizagem em enfermagem. 2014. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

DE CARVALHO SANINO, Giane Elis. O uso da simulação em enfermagem no Curso Técnico de Enfermagem. Journal of Health Informatics, v. 4, 2012.

DE OLIVEIRA COSTA, Raphael Raniere et al. O uso da simulação no contexto da educação e formação em saúde e enfermagem: uma reflexão acadêmica. Espaço para a Saúde-Revista de Saúde Pública do Paraná, v. 16, n. 1, p. 59-65, 2015.

FIGUEIREDO, Ana Elizabeth. Laboratório de enfermagem: estratégias criativas de simulações como procedimento pedagógico. Revista de Enfermagem da UFSM, v. 4, n. 4, p. 844-849, 2015.

FONSECA, Ariadne da Silva et al. Criação e implantação do Centro de Simulação Realística do Centro de Aprimoramento Profissional de Enfermagem: relato de experiência. Nursing (São Paulo), v. 13, n. 154, p. 156-160, 2011.

MARTINELLO, Daniela Faustino Gonçalves et al. A prática da simulação realística na formação do enfermeiro. _< http://www. unifra. br/eventos/jornadadeenfermagem/Trabalhos/4334. pdf> acessado em, v. 10, p. 00h, 2014.

TEIXEIRA, Carla Regina de Souza et al. Use of simulator in teaching nursing clinical evaluation. Texto & Contexto-Enfermagem, v. 20, n. SPE, p. 187-193, 2011.

VALADARES, Alessandra Freire Medina; MAGRO, Marcia Cristina da Silva. Opinião dos estudantes de enfermagem sobre a simulação realística e o estágio curricular em cenário hospitalar. Acta Paul Enferm, v. 27, n. 2, p. 138-43, 2014.