Relato de experiência dos monitores na disciplina de Enfermagem na Saúde do Adulto I na Sala de Recuperação Pós-Anestésica (SRPA)

Marcos Rodrigues Santos, Josefa Jadiane dos Santos, Natália Aragão Santana, Shirley Dosea dos Santos Naziazeno

Resumo


A monitoria é um método de conhecimento e aprendizagem que contempla os três pilares fundamentais da vida acadêmica: ensino, pesquisa e extensão. Dentre uma das oferecidas pelo curso de Enfermagem da Universidade Tiradentes, está a da disciplina de Enfermagem nas Saúdo do Adulto I que aborda conhecimentos de enfermagem relacionados a clínica médica e cirúrgica. O Centro Cirúrgico é composto por várias áreas, entre elas, a Sala de Recuperação Pós-Anestésica (SRPA), a assistência de enfermagem prestada ao paciente na SRPA deve ser integral e sistematizada. O objetivo do estudo é evidenciar a importância da assistência de Enfermagem prestada ao paciente na Sala de Recuperação Pós-Anestésica (SRPA) sob a visão dos monitores. Este estudo é de caráter descritivo, do tipo exploratório, cujo instrumento utilizado para sua elaboração foi a revisão bibliográfica sobre a temática abordada associada ao conhecimento científico dos monitores autores da pesquisa proporcionado pela vivência prática da atividade de monitoria. Para uma melhor dinamicidade do estudo, os resultados encontrados durante a revisão de literatura foram debatidos com os achados da vivencia da monitoria e classificados em quatro categorias: embasamento científico e aplicabilidade, intervenções da equipe de enfermagem, dimensionamento do pessoal da enfermagem e a segurança do paciente. Concluiu-se que as intervenções de enfermagem, o mau dimensionamento da equipe e a segurança do paciente são fatores implicam numa melhor assistência de enfermagem que se encontram no pós-operatório imediato, ambos foram vistos na vivência dos alunos monitores.

Palavras-chave


Cuidados De Enfermagem, Enfermagem Em Pós-Anestésico, Sala De Recuperação.

Texto completo:

PDF

Referências


ARAÚJO, Evanísia Assis Goes de et al. Sistematização da assistência de enfermagem na sala de recuperação pós-anestésica. Rev. SOBECC, p. 43-51, 2011.

CASTRO, F. S. F. et al. Temperatura corporal, Índice Aldrete e Kroulik e alta do paciente da Unidade de Recuperação Pós-Anestésica. Rev Esc Enferm USP 2012; 46(4):872-6 www.ee.usp.br/reeusp/.

COSTALINO, Lídia Regina. A enfermagem e a dor do paciente na sala de recuperação pós-anestésica: formas de identificação e condutas interventivas. Salusvita, 2015.

DE SOUZA, Talita Monteiro; DE CARVALHO, Rachel; PALADINO, Camila Moreira. Diagnósticos, prognósticos e intervenções de enfermagem na sala de recuperação pós-anestésica. Revista SOBECC, v. 17, n. 4, p. 33-47, 2012.

FONSECA, R. M. P.; PENICHE, A. C. G. Enfermagem em centro cirúrgico: trinta anos após criação do Sistema de Assistência de Enfermagem Perioperatória. Acta Paul Enferm. 2009;22(4):428-33.

LIMA, Luciana Bjorklund de; RABELO, Eneida Rejane. Nursing workload in the post-anesthesia care unit. Acta Paulista de Enfermagem, v. 26, n. 2, p. 116-122, 2013.

MATOSO, L. M. L. A importância da monitoria na formação acadêmica do monitor: um relato de experiência. Revista Científica da Escola da Saúde. Escola da Saúde – Universidade Potiguar-UNP, Campus Mossoró, 2013.

POPOV, D. C. S.; PENICHE, A. C. G. As intervenções do enfermeiro e as complicações em sala de recuperação pós-anestésica. Rev Esc Enferm USP 2009; 43(4):953-61 www.ee.usp.br/reeusp/.

SANTOS, Richard. Humanização dos cuidados de enfermagem no período pós-anastésico. 2015. Trabalho de Conclusão de Curso.

VITURI, Dagmar Willamowius et al. Dimensionamento de enfermagem hospitalar: modelo OPAS/OMS. Texto & Contexto-Enfermagem, v. 20, n. 3, p. 347-356, 2011.