PROTOCOLO DE IDENTIFICAÇÃO E A INTERFACE COM A SEGURANÇA DO PACIENTE

Hendyara Oliveira Carvalho Almeida

Resumo


A identificação dos pacientes nas unidades hospitalares deve ser uma prática constante para a minimização dos eventos adversos, no entanto, a gestão do cuidado deve ser iniciada desde a admissão do paciente no hospital até a alta hospitalar. O presente estudo trata-se de uma revisão da literatura com o objetivo de analisar através da literatura a importância do protocolo de identificação do paciente para a promoção de um cuidado seguro. Realizado levantamento bibliográficos nas bases de dados SCIELO, LILACS, BVS entre anos 2013 a 2018. Os resultados apresentados foram divididos em duas categorias, a implantação do protocolo de identificação do paciente e os métodos de identificação, com cinco artigos (41,7%) e a interface do protocolo de identificação com a segurança do paciente, com sete artigos (58,3%). A análise dos estudos demonstrou que a falhas no gerenciamento dos serviços de saúde interfere na implantação da cultura de segurança e que o protocolo de identificação atua diretamente na minimização dos eventos adversos e consequentemente garantindo a segurança do paciente.

Texto completo:

PDF