HÁBITOS DE VIDA COMO FATOR DESENCADEANTE A PARASITOSES INTESTINAIS

Amanda Cristine Melo Sousa, Maria Inês Brandão Bocardi

Resumo


As enteroparasitoses constituem um grave problema
de saúde pública mundial, principalmente nos
países em desenvolvimento. A frequência de parasitas
intestinais varia de acordo com diversos fatores,
entre eles, econômicos, sociais e ambientais. Neste
sentido, este estudo teve como objetivo identificar
os fatores de risco para parasitoses intestinais, das
crianças cadastradas no Centro de Saúde Ministro
Costa Cavalcanti, de Aracaju/SE, cuja amostra
constituiu-se de 58 crianças, com idade entre 7 a 9
anos, residentes nos bairros Inácio Barbosa e Pantanal.
Trata se de um estudo comparativo, embasado
nas normas da pesquisa descritiva com abordagem
qualitativa. Para coleta de dados utilizou-se de entrevista
familiar e de coleta de fezes das crianças,
para realização do parasitológico. Os resultados
demonstraram maior prevalência de parasitoses
nas crianças do sexo masculino residentes no bairro
Pantanal, com renda familiar entre 0 a 3 salários
mínimos, que utilizam água encanada e tratada para
consumo, e o esgoto é desprezado em fossa séptica
ou é encanado para rede geral. Conclui-se que
os hábitos de vida, os fatores sociais e ambientais
são determinantes para ocorrência de parasitoses,
tornando-se necessária adoção de estratégias em
nível de atenção primária que possam contribuir na
redução destes índices

Palavras-chave


Parasitoses. Saneamento Básico. Saúde Pública

Texto completo:

PDF