CHANCHADAS, CINEJORNAIS, CANGAÇO E CINEMA NOVO: O NORDESTE NO CINEMA ENTRE OS ANOS 50 E 60

  • Ana Ângela Farias Gomes Universidade Federal de Sergipe - UFS
  • Keline Pereira Universidade Federal de Sergipe - UFS
Palavras-chave: Cinema. Nordeste. História. Cultura.

Resumo

O artigo aborda a produção cinematográfica brasileira entre as décadas de 1950 e 1960 para investigar os modos como o Nordeste é tematizado. Ora espaço do arcaísmo nacional, ora representação do Brasil real com todas as suas complexidades, o Nordeste no cinema deste período reflete as forças sociais em movimento no país. Há a tentativa de uma indústria nacional cinematográfica que copia a estética hollywoodiana através das chanchadas e do Nordestern; a política assistencialista enaltecida nos cinejornais; e a revolução estético-política proposta pelo Cinema Novo, presente principalmente nos filmes de Glauber Rocha.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Ângela Farias Gomes, Universidade Federal de Sergipe - UFS
Graduada em Comunicação Social, Mestre em Sociologia, Doutora em Ciências da Comunicação. Professora do Curso de Cinema e Audiovisual da Universidade Federal de Sergipe (UFS) e do Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar em Cinema (PPGCINE/UFS).
Keline Pereira, Universidade Federal de Sergipe - UFS
Graduada em História pela UFS e Mestranda pelo Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar em Cinema (PPGCINE/UFS). E-mail: kelinepereira1@gmail.com.
Publicado
2020-09-08
Como Citar
Gomes, A. Ângela F., & Pereira, K. (2020). CHANCHADAS, CINEJORNAIS, CANGAÇO E CINEMA NOVO: O NORDESTE NO CINEMA ENTRE OS ANOS 50 E 60. Interfaces Científicas - Humanas E Sociais, 8(3), 307-320. https://doi.org/10.17564/2316-3801.2020v8n3p307-320
Seção
Artigos