FRATURAS EM PESSOAS IDOSAS: UM ESTUDO SOBRE OS FATORES DE RISCO

  • Vivia Santos Santana Universidade Tiradentes
  • Maria Florência dos Santos Universidade Tiradentes
  • Suely Souza Duarte Hospital de Cirurgia
  • Shirleide Araújo Bezerra Hospital de Cirurgia
Palavras-chave: Quedas. Pessoas idosas. Fatores extrínsecos. Fatores intrínsecos.

Resumo

Segundo a Organização Mundial de Saúde, em 2025, o Brasil será o sexto país em número de população de pessoa idosa. Diante disso, procurou-se analisar sobre os aspectos sociais e culturais que podem contribuir para o acometimento de quedas em pessoas idosas e investigar como estão as condições de moradia e a infraestrutura da comunidade onde estas residem. O trabalho caracteriza-se por ter uma natureza descritiva e exploratória, sendo de caráter quantitativo e qualitativo. Foi utilizado um questionário estruturado para a coleta dos dados. Participaram da pesquisa cem pessoas idosas admitidas em um hospital filantrópico do município de Aracaju/SE, no ano de 2014. Alguns dos resultados obtidos referentes aos fatores extrínsecos mostraram que 51% das pessoas idosas possuem apenas cama e guarda-roupa no quarto, 85% não possuem quarto com suíte, 56% dos banheiros possuíam o piso escorregadio, 63% não usam tapetes. Sobre o local da queda, 74% ocorreram no domicilio. 97% das pessoas idosas não eram acamadas e caíram realizando atividades rotineiras, sendo que 24% realizavam todas as atividades da vida diária e 37% realizavam apenas algumas destas. Sobre as fraturas, o maior índice foi as do fêmur, que atingiu 79% dessa população. Acerca dos fatores intrínsecos observa-se que 80% dos entrevistados faziam uso de medicação e já possuíam algum tipo de doença. Considera-se que os fatores extrínsecos envolvem o ambiente, enquanto os intrínsecos envolvem doenças e uso de medicamentos, que podem contribuir para ocorrência de quedas, sendo necessário que a pessoa idosa e seus familiares sejam orientados para preveni-las.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vivia Santos Santana, Universidade Tiradentes
Especialista em Unidade de Terapia intensiva, pela Fundação de Beneficência Hospital de Cirurgia e Universidade Tiradentes.
Maria Florência dos Santos, Universidade Tiradentes
Especialista em Unidade de Terapia intensiva, pela Fundação de Beneficência Hospital de Cirurgia e Universidade Tiradentes. Mestranda no Progrma de Pós-Graduação em Serviço Social na Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho"-Unesp Faculdade de Ciências Humanas e Sociais.
Suely Souza Duarte, Hospital de Cirurgia
Assistente Social Especialista em Gestão de Pessoas e Psicologia Organizacional pela Faculdade Amadeus. Atualmente é coordenadora do setor de Serviço Social e preceptora da Residência Multiprofissional em Unidade de Terapia intensiva-UTI da Fundação de Beneficência Hospital de Cirurgia.
Shirleide Araújo Bezerra, Hospital de Cirurgia
Assistente Social Mestra em Ciências da Educação pela Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias-ULHT-Portugal. É preceptora da Residência Multiprofissional em unidade de Terapia intensiva-UTI da Fundação de Beneficência Hospital de Cirurgia.
Publicado
2016-06-04
Como Citar
Santana, V. S., dos Santos, M. F., Duarte, S. S., & Bezerra, S. A. (2016). FRATURAS EM PESSOAS IDOSAS: UM ESTUDO SOBRE OS FATORES DE RISCO. Interfaces Científicas - Humanas E Sociais, 5(1), 21-32. https://doi.org/10.17564/2316-3801.2016v5n1p21-32
Seção
Artigos