DA TECELAGEM AO DESMONTE: UMA ANÁLISE DA ARQUITETURA DO COMPLEXO FABRIL TÊXTIL DE RIO LARGO, A PRIMEIRA CIDADE INDUSTRIAL DE ALAGOAS

  • Mônica Peixoto Vianna Centro Universitário Tiradentes (UNIT)
  • Luiz Alberto Calheiros Oliveira Júnior Centro Universitário Tiradentes (UNIT)
Palavras-chave: Cidade industrial, Rio Largo, Patrimônio industrial têxtil.

Resumo

Este artigo trata do estudo das vilas operárias construídas pela Companhia Alagoana de Fiação e Tecidos (CAFT) para as fábricas “Cachoeira” e “Progresso” que deram origem à primeira cidade industrial de Alagoas, atual Rio Largo, verificando suas configurações espaciais, as várias tipologias de arquitetura e suas relações com diferentes conceitos de habitat, o processo de desmonte e a situação atual desses espaços. Primeiramente apresenta o processo de instalação das indústrias têxteis em Alagoas, as várias empresas criadas e suas experiências em construir habitação para seus funcionários. E, em seguida, o estudo se concentra no caso da CAFT, mostrando seu processo de criação, expansão e consolidação com a construção das fábricas “Cachoeira” e “Progresso”, das vilas operárias e de suas obras de apoio, como Grupo escolar, Departamento de Saúde, cooperativa, cinema, banda de música, igrejas, clube com cassino etc. O objetivo central do artigo é recuperar a história da implantação desse complexo fabril têxtil que deu origem à primeira cidade industrial de Alagoas, investigando a situação atual da cidade de Rio Largo e as transformações espaciais correlatas, contribuindo para a escassa historiografia sobre a arquitetura têxtil em Alagoas.

Biografia do Autor

Mônica Peixoto Vianna, Centro Universitário Tiradentes (UNIT)
Professora Titular do curso de Arquitetura e Urbanismo do Centro Universitário Tiradentes (UNIT)
Luiz Alberto Calheiros Oliveira Júnior, Centro Universitário Tiradentes (UNIT)
Egresso do curso de Arquitetura e Urbanismo do Centro Universitário Tiradentes (UNIT) da turma de 2019.1.

Referências

CASTRO, Cristine Gonçalves de. Relações de poder no complexo fabril têxtil de Rio Largo: identificação inter-relações socioespaciais. 2015. 211 f. Dissertação (Mestrado em Dinâmicas do Espaço Habitado) - Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade Federal de Alagoas, Maceió, 2015.

LESSA, Golbey. Ensaio - Para uma História da Indústria têxtil Alagoana. A voz do povo: espaço de reflexão e debate sobre a formação social alagoana. 6 de dez. 2008. Disponível em :http://pcbalagoas.blogspot.com.br/2011/10/para-uma-historia-da-industria-textil.html>. Acesso em: 5 de jan. 2017.

MATOS, R. A.; JESUS, V. O. de; MATOS, N. A. Instruções de tombamento: pedido de tombamento da vila industrial modernista de Rio Largo/AL. Maceió: Oficina de Projetos; IPHAN, 2009.

O PROGRESSO DE RIO LARGO E A OBRA DO COMMENDADOR GUSTAVO PAIVA. Revista O Natal, dezembro de 1938.

OITICICA, Luís Pereira da Rosa, apresentação do livro Memória sobre a cultura do café na província das alagoas, de Barnabé Elias da Rosa Calheiros, Typ. Do Jornal das Alagoas, Maceió, 1876, reeditado pelo Museu do Açúcar, IAA, Recife, 1967.

PAIVA FILHO, Arnaldo. Rio Largo: cidade operária. Maceió: SENAI/AL, 2013.

RODRIGUES, Rosemary Lopes; HIDAKA, Lúcia T. Ferreira. Conservação do Patrimônio Industrial em Debate: O Caso do Sítio Industrial da Antiga Companhia Alagoana de Fiação e Tecidos, Em Rio Largo/Al. In: Anais do Simpósio Científico 2017 - ICOMOS BRASIL. Anais [...] Belo Horizonte (MG) Instituto Metodista Izabela Hendrix, 2018.

RODRIGUES, Rosemary Lopes. Conservação do patrimônio cultural – perspectivas sobre o sítio industrial da antiga CAFT, Rio Largo-AL. 2017, 198 p. Dissertação (Mestrado em Dinâmicas do Espaço Habitado), Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade Federal de Alagoas. Maceió, 2017.

____. Proposta de ações preservacionistas sobre dois exemplos do patrimônio industrial têxtil de Alagoas. 2014, Trabalho Final de Graduação (Bacharelado em Arquitetura e Urbanismo) Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade Federal de Alagoas. Maceió, 2014.

SANT’ANA, M. M. Contribuição da história do açúcar em Alagoas. Recife: Instituto do Açúcar e do Álcool; Museu do Açúcar, 1970.

SILVA, Kalina V; SILVA, Maciel H. Dicionário de conceitos históricos. 3° ed. São Paulo: Contexto, 2010.

TENÓRIO, D. A.; LESSA, G. L. O ciclo do algodão e as vilas operárias. 1. ed. Maceió: Editora da Universidade Federal de Alagoas - Edufal, 2013. v. 1. 184p.

Publicado
2020-10-30
Como Citar
Vianna, M. P., & Oliveira Júnior, L. A. C. (2020). DA TECELAGEM AO DESMONTE: UMA ANÁLISE DA ARQUITETURA DO COMPLEXO FABRIL TÊXTIL DE RIO LARGO, A PRIMEIRA CIDADE INDUSTRIAL DE ALAGOAS. Caderno De Graduação - Ciências Humanas E Sociais - UNIT - ALAGOAS, 6(2), 172. Recuperado de https://periodicos.set.edu.br/fitshumanas/article/view/7819
Seção
Artigos