O SERTÃO SOB PREMISSAS PÓS-ESTRUTURALISTAS: NORDESTE SIM, NORDESTE NÃO

  • Walcler de Lima Mendes Junior Centro Univeristário Tiradentes/Unit
  • Marta Maria Eneas Moura
Palavras-chave: Nordeste. Signo. Sertão. Identidade. Desconstrução.

Resumo

Marcado por aspectos do clima tropical semi-árido, longas estiagens, êxodos, cultivo canavieiro e algodoeiro, latifúndio, casarões, senhores de engenho, trabalhadores e meeiros, todos explorados por um sistema social com forte inspiração na escravidão do século XIX. O Nordeste surgindo no contraste entre Norte e Sul desde o início dos anos vinte. Ao sabor dos anos, pensar na possibilidade de um “Novo Nordeste” emergindo? O chão sulcado por volante e cangaço, a fome derrubando famílias, uma gente sustentada por pequenas aves de arribação, preás e farinha, o descuido governamental, contraste da imagem fabulosa com a tecnologia digital entrando nas casas do povo. Nordeste como se fosse signo de signos, imagens sobrepostas. Nos termos desta pesquisa, termos da identidade regional deslocada por marcas do pensamento pós-estruturalista. O signo Nordeste desloca-se pela literatura, poemas, filmes e trajetórias de gentes e coisas. A construção do Nordeste como fábula de precisão começa aqui e agora.

Biografia do Autor

Walcler de Lima Mendes Junior, Centro Univeristário Tiradentes/Unit
Walcler de Lima Mendes Junior é Jornalista, documentarista e músico. Graduado em comunicação Social, Jornalismo, Mestre e Doutor em Planejamento Urbano e Regional pelo IPPUR/UFRJ. Professor Titular II e pesquisador do Centro Universitário Tiradentes (Unit/Alagoas) no Programa de Pós-Graduação em Sociedade, Tecnologias e Políticas Públicas (SOTEPP). Líder do Grupo de Pesquisa Nordestanças da UFAL, onde atuou como pesquisador do Projeto Universal/CNPQ, Mapeamento do Patrimônio Cultural do Agreste Alagoano e do Projeto de salvaguarda do patrimônio imaterial de Alagoas, financiado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional - IPHAN entre os anos de 2015 e 2017. Autor dos livros: Brinquedos, rezas e trovas de Alagoas (2017), Rasuras e refrões: Derrida e Deleuze entre bambas, matutos e foliões (2015), O Sujeito arquiautor: conflitos do discurso urbano e midiático (2011). Organizador do livro Letras projetadas sobre fundo em movimento: palavras que dizem cinema (2014). Diretor dos documentários etnográficos: Carreadas (2017); Cavalhadas de Alagoas (2016) Cadernos de Viagem: Nepal (2015), A Lapinha de Dudé (2013), A saga do menino Canta (2012), Cadernos de Viagem: Índia (2012), Cadernos de Viagem: Austrália e Nova Zelândia (2010), Cadernos de Viagem: Leste Europeu e Turquia (2011), Quilombolas da Marambaia (2004). Site: http://gpnordestancas.com. Área de interesse em Etnomusicologia, Cinema, Antropologia da Imagem, Análise do Discurso, Cultura, Regionalismo e Urbanismo.
Publicado
2018-01-03
Como Citar
Mendes Junior, W. de L., & Moura, M. M. E. (2018). O SERTÃO SOB PREMISSAS PÓS-ESTRUTURALISTAS: NORDESTE SIM, NORDESTE NÃO. Caderno De Graduação - Ciências Humanas E Sociais - UNIT - ALAGOAS, 4(2), 225. Recuperado de https://periodicos.set.edu.br/fitshumanas/article/view/4713
Seção
Artigos