CARACTERIZAÇÃO DAS CAUSAS DE INTERNAÇÕES DE RECÉM-NASCIDOS EM UMA UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA NEONATAL

  • Thayná Marcele Marques Nascimento Centro Universitário Tiradentes - UNIT/AL
  • Alba Maria Bomfim de França Centro Universitário Tiradentes - UNIT / AL
  • Ingrid Santos de Omena Centro Universitário Tiradentes - UNIT/AL
  • Ana Carla de Oliveira Soares Centro Universitário Tiradentes - UNIT/AL
  • Magda Matos de Oliveira Centro Universitário Tiradentes - UNIT/AL
Palavras-chave: Recém-nascido, Unidade de terapia intensiva neonatal, Perfil de saúde, Enfermagem.

Resumo

A admissão do recém-nascido (RN) em uma unidade de terapia intensiva neonatal pode ser realizada por diversos motivos. O presente projeto tem como objetivo descrever os motivos que levaram as internações de RN em uma UTIN (Unidade de Terapia Intensiva Neonatal) na Maternidade Escola Santa Mônica que é referência para alto risco, na cidade de Maceió/AL. Trata-se de uma pesquisa exploratória com abordagem quantitativa, utilizando dados dos prontuários de RN, no período de 01 de janeiro a 30 de junho de 2017. Os dados foram analisados e classificados de acordo com formulário feito pelas pesquisadoras, sistematizando os resultados finais em uma tabela de forma decrescente utilizando o Microsoft Word, Os resultado obtidos relacionados as características dos RN tiveram maior destaque com sexo masculino (54,71%), baixo peso (44,71%), pré-termo( 22-37 semanas) 69,71%, Apgar 1º e 5º min >7 (60,10%) e (76,92%), tipo de parto cesáreo (66,35%), consultas de pré-natal 4-6 (41,35%) e apresentação cefálica (80,76%). A prematuridade teve maior incidência entres as causas de admissão com (69,71%), seguido do desconforto respiratório (66,82%), risco infeccioso (13,94%), Síndrome do Desconforto Respiratório (13,46%), prematuridade extrema (10,9%), entre outros.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ANTUNES, et al. Internação do Recém-nascido na Unidade de Terapia Intensiva: Significado para Mãe.Revista Rene. 2014 set-out; 15(5):796-803, Santa Maria, RS. Disponível em: < http://www.redalyc.org/html/3240/324032944009/ >. Acesso em: 15 de janeiro de 2018.

BORGES, F.R.S. PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DE UMA UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA NEONATAL EM GOIÁS, BRASIL ENTRE 2009 E 2013. Revista Educação em Saúde: V4, N1, 2016 – ISSN: 2358-9868. Disponível em: . Acesso em: 3 de março de 2018.

BRASIL. Ministério da Saúde. Atenção Humanizada ao Recém-Nascido de Baixo Peso: Guia para os profissionais de saúde. Brasília-DF, 2º Ed, p.18, 2012. Disponível em: <http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/atencao_saude_recem_nascido_Po fissionais_v1.pdf>. Acesso em: 16 de novembro de 2018.

BRASIL. Ministério da Saúde. Atenção a Saude do Recém-Nascido: Guia para os profissionais de saúde. Brasília-DF, 2º Ed, p.26 ,2012. Disponível em:< http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/atencao_saude_recem_nascido_profissionais_v3.pdf>. Acesso em: 20 de novembro de 2018.

CARVALHO, M.L. Infecções hospitalares em unidade de terapia intensiva neonatal. R.Interd.v.7,n.4,p.189-198,out.nov.dez.2014. Acesso em: 10 de julho de 2018.

DAMIAN, A; WATERKEMPER, R; PALUDO, C.A. Perfil de neonatos internados em unidade de tratamento intensivo neonatal: estudo transversal. Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA)-Porto Alegre, Arq. Ciênc. Saúde. 2016,abr-jul;23(2),100-105. Disponível em:

f1561eec40fc8173e4ef/root/308-1-3045-1-10-20160722.pdf>. Acesso em: 02 de outubro de 2018.

LIMA, S.S et al. Aspectos clínicos de recém-nascidos admitidos em Unidade de Terapia Intensiva de hospital de referência da Região Norte do Brasil. ABCS Health Sci. 2015; 40(2):62-68 6.Disponivel em: < file:///C:/Users/User/Downloads/732-1528-1-PB.pdf>. Acesso em :19 de junho de 2018.

LINO, H.L et al. OS BENEFÍCIOS DA REDE DE BALANÇO EM INCUBADORAS UTILIZADAS EM RECÉM-NASCIDOS NA UTI NEONATAL: UMA ESTRATÉGIA DE HUMANIZAÇÃO. Enfermagem revista, v. 18, 2015. Disponível em:< http://periodicos.pucminas.br/index.php/enfermagemrevista/article/view/9372>. Acesso em: 15 de junho de 2018.

MUCHA, F; FRANCO, S.C; SILVA, G.A; Frequência e características maternas e do recém nascido associadas à internação de neonatos em UTI no município de Joinville, Santa Catarina – 2012. Rev. Bras. Saúde Materna. Infant. Recife, 15 (2): 201-208 abr. / jun., 2015. Disponivel em: <http://dx.doi.org/10.1590/S1519-38292015000200006> .Acesso em: 5 de março de 2018.

.

SOUZA, K.C.L; CAMPOS, N.G; CAMPOS, F.F.J. PERFIL DOS RECÉM-NASCIDOS SUBMETIDOS À ESTIMULAÇÃO PRECOCE EM UMA UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA NEONATAL. Rev Bras Promoc Saude, Fortaleza, 26(4): 523-529, out./dez., 2013. Disponível: <http://periodicos.unifor.br/RBPS/article/vieWile/3117/pdf >. Acesso em 24 de agosto de 2018.

MINISTÉRIO DA SAÚDE : SIAB: Sistema de Informações de Atenção Básica. Ano de 2017.Disponivel:<http://datasus.saude.gov.br/sistemas-e-aplicativos/epidemiologicos /siab>. Acesso em: 10 de junho de 2018.

NASCIMENTO, F.J.M et al. A SINDROME DO DESCONFORTO RESPIRATÓRIO DO RECÉM-NASCIDO: FISIOPATOLOGIA E DESAFIO ASSISTENCIAIS. Ciências Biológicas e da Saúde | Maceió, v. 2, n.2,p. 189-198 | Nov 2014 | periodicos.set.edu.br. Disponível em: <https://periodicos.set.edu.br/index.php/fitsbio saude/article/view/1836/1054>. Acesso em 15 de outubro de 2018.

STELMAK, A.P; MAZZA, V.A; FREIRE, M.H.S. O VALOR ATRIBUÍDO PELOS PROFISSIONAIS DE ENFERMAGEM AOS CUIDADOS PRECONIZADOS PELO MÉTODO CANGURU. Rev. enfermo UFPE no lene. Recife, 11(9):3376-85, set., 2017.Disponível em https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistaenfermagem/art icle/view/110236/22167>. Acesso em 12 de maio de 2018.

TAMEZ, R.N. Enfermagem na UTI neonatal: ASSISTÊNCIA AO RECEM-NASCIDO DE ALTO RISCO. 6º ed. Califórnia: Editora Guanabara Ltda., 2011. Acesso em 25 de fevereiro de 2018.

VASCONCELOS E.M; PEDROSA, O.k.; DE MARTINO, M.F.PERFIL DE INTERNAÇÃO DE RECÉM-NASCIDOS DE ALTO RISCO EM UMA UNIDADE DE CUIDADO INTERMEDIÁRIO NEONATAL. Revista de enfermagem UFPE no lene. Recife. Disponível em:https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistaenfemagem/article/w

wFile/12288/14951>. Acesso em 5 de agosto de 2018.

Publicado
2020-04-13
Como Citar
Nascimento, T. M. M., Bomfim de França, A. M., Omena, I. S. de, Soares, A. C. de O., & Oliveira, M. M. de. (2020). CARACTERIZAÇÃO DAS CAUSAS DE INTERNAÇÕES DE RECÉM-NASCIDOS EM UMA UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA NEONATAL. Caderno De Graduação - Ciências Biológicas E Da Saúde - UNIT - ALAGOAS, 6(1), 63. Recuperado de https://periodicos.set.edu.br/fitsbiosaude/article/view/6568
Seção
Artigos