ESCOLA DE TEMPO INTEGRAL: UMA EXPERIÊNCIA DE PROTAGONISMO JUVENIL

Palavras-chave: Educação. Protagonismo juvenil. Cultura escolar. Neurociência. Inteligência emocional.

Resumo

Um dos desafios para a educação institucional na atualidade diz respeito a acrescentar à dimensão cognitiva a formação crítica e ética. O objetivo deste artigo é descrever detalhes do protagonismo de jovens estudantes na cultura de escola de tempo integral e compreender os fenômenos sociológicos imbricados no processo: empatia, solidariedade e mobilização de toda comunidade escolar para ajudar uma colega da turma a superar problemas de família. Pesquisas de Goleman e Senge (2015) em inteligência emocional apontam que a aprendizagem social e emocional complementa a vida acadêmica, bem como pressupostos teóricos de Libâneo, Oliveira e Toschi (2003) fundamentam a autossocioconstrução do conhecimento a partir do desenvolvimento do pensamento autônomo e atitude criativa. O uso metodológico da História Oral e a narrativa das protagonistas servem ao propósito de reconstituir os detalhes, proporcionando às entrevistadas a ressignificação de sentidos ao vivido e novos aprendizados para a vida, em acordo com pesquisas de Delory-Momberger (2008). A vivência desenvolveu no grupo o senso de maturidade e inteligência emocional, além da capacidade para pensar reflexivamente, de modo a assumir desafios, planejar ações e mobilizar toda uma comunidade escolar para alcançar seus propósitos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alexandro Lima Viana, Secretaria Municipal de Educação - SME - Fortaleza-CE
Possui graduação em Pedagogia pela Universidade Federal do Ceará (2006), Especialização em Gestão e Coordenação Escolar (2010), MBA em Gestão Estratégica de Pessoas (2017) e está cursando pós graduação em Neuroeducação (2018). Tem experiência de mais de 10 anos na área da Educação, com ênfase no desenvolvimento de competências. Atua como Palestrante principalmente nos seguintes temas: Neuroeducação, Gestão humanizada, Gestão participativa, Coaching, Formação para as famílias, Neurociência do comportamento, Interdimensionalidade, Neurociência do bem estar e Protagonismo Juvenil. Criou os Programas: ConVIVENDO MELHOR - Momento Família e Os cinco passos para ter sucesso com o seu filho. Desenvolve também atividades de Coaching em grupo e Neuromentoria. Iniciou a trajetória educacional no município de Fortaleza em 2007, como professor substituto. Assumiu cargo efetivo em 2010, sendo eleito pelo segmento professores, em 2011, Presidente da Unidade Executora dos Recursos Financeiros da escola. Em 2013, publicou seu primeiro projeto estruturado no livro Trajetórias e Identidades: saberes docentes e práticas de ensino na promoção da autonomia. No início de 2014, assumiu a coordenação e desde janeiro de 2016, atua como Gestor na Escola Municipal de Tempo Integral José Carvalho. Pesquisador em Neurociências, Membro emérito da Sociedade Latino Americana de Coaching, Programador Neurolinguístico, licenciado pela Society Of Neurolinguistic Programming, Analista Comportamental DISC e SOAR, e Green Belt pela Federação Brasileira de Coaching Integral Sistêmico © - FEBRACIS.). Ministrou diversas palestras com destaque para As bases Neurocientíficas das Relações, (Secretaria Municipal de Educação de Fortaleza) e A Natureza dos Pensamentos, apresentada para grupos de professores da rede municipal de Fortaleza, estudantes da Faculdade Integrada do Ceará e Gestores da Secretaria Municipal de Educação do Eusébio ministrada também no Cine São Luiz/Outubro Docente, (SME Fortaleza/2017).
Tânia Gorayeb Sucupira, Universidade Federal do Ceará - UFC
Doutoranda em Educação pela Universidade Federal do Ceará com a pesquisa intitulada "Interfaces dos Movimentos Estudantis entre Narrativas de 1968 e de 2016" (agosto de 2016...). Possui Mestrado em Educação pela Universidade Federal do Ceará (2014-2015), Pós-Graduação Lato Sensu, em nível de Especialização, em Gestão Escolar e Coordenação Pedagógica (2010-2011), pela Faculdade Kurius, Graduação em Pedagogia pela Universidade Federal do Ceará (2003-2008). Estudo superior na área de Educação com enfoque nos aspectos sociais, psicológicos e filosóficos da formação intelectual e psicossocial do indivíduo. Identificação com os campos de conhecimentos relacionados com tecnologia digital na educação, educação ambiental, educação popular e movimentos sociais, bem como com as propostas de compreensão das problemáticas que envolvem a superação de desigualdades e exclusão sociais. Experiência com atendimento ao público nas áreas de relações públicas, marketing e vendas. Atualmente, é professora do Ensino Fundamental da rede municipal de Fortaleza. Possui conhecimento aprofundado no ramo de alimentos e alimentação, no que se refere à seleção, pré-preparo, preparo e distribuição de refeições coletivas.
José Gerardo Vasconcelos, Universidade Federal do Ceará - UFC
Professor Titular de Filosofia da Educação da Faculdade de Educação, da Universidade Federal do Ceará. Possui Licenciatura em Filosofia pela Universidade Estadual do Ceará (1988), Bacharelado em Filosofia Política pela Universidade Estadual do Ceará (1989), Especialização em Filosofia Política pela Universidade Estadual do Ceará (1990), Mestrado em Sociologia pela Universidade Federal do Ceará (1993), Doutorado em Sociologia pela Universidade Federal do Ceará (1997), Pós-Doutorado em Artes Cênicas, pela Escola de Teatro, da Universidade Federal da Bahia (2002), Pós-Doutorado em Educação pela Universidade Federal da Paraíba (2011 - 2012), Pós-Doutorado em História da Educação pelo Centro de Educação, da Universidade Federal do Rio Grande do Norte ( 2015 - 2016 ).Tutor do PET Pedagogia da UFC (2010-2015). É líder do Grupo de Pesquisa de História e Memória da Educação do CNPq - NHIME. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Filosofia da Educação, História da Educação e Antropologia da Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: Filosofia da Educação Contemporânea (Nietzsche e Foucault) e História e Memória da Educação (Biografias de Educadores do século XX e XXI/ Narrativas de mulheres educadoras militantes no contexto do pós-1964) e Antropologia da Educação (disciplinamento do corpo, sexualidade, práticas de escrita na cadeia e cultura negra/capoeira)
Antônio Roberto Xavier, Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira - UNILAB
Pós-doutor em Educação pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB) e Pós-doutor em Educação (PNPD-2017-2018) pela Universidade Federal do Ceará (UFC); Doutor em Educação pela Universidade Federal do Ceará (UFC); Mestre em Sociologia pela Universidade Estadual do Ceará (UECE); Mestre em Planejamento e Políticas Públicas pela Universidade Estadual do Ceará (UECE); Especialista em História e Sociologia pela Universidade Regional do Cariri (URCA); Graduação em Licenciatura Plena em História pela Universidade Estadual do Ceará (UECE); Graduação em Licenciatura Plena em Pedagogia pela Faculdades Kurius (FAK). Professor Permanente do Mestrado Acadêmico em Sociobiodiversidade e Tecnologias Sustentáveis (MASTS) e Professor do Curso de Graduação em Administração Pública presencial, ambos da UNILAB; Professor-Pesquisador no Programa de Pós-graduação Mestrado e Doutorado (PPGE) da Universidade Federal do Ceará (UFC). Atua nas seguintes Linhas de Pesquisa: 1) Políticas Públicas, Estado e Sociedade; 3) Etnociência, Saberes Populares e Sustentabilidade; 3) Culturas, História, Memória e Educação. Desenvolve também pesquisas em História e Cultura Afro-brasileira e Africana; Biografias; Temáticas étnico-raciais; Segurança Pública e Crime Organizado; Direitos Humanos e Sistema Penitenciário; Cultura Digital; Família, Gênero e Geração; Museologia; Patrimônios; Gestão Ambiental; Teoria e Metodologia da História; Micro-História; Ensino de Ciências; Fundamentos Históricos, Filosóficos, Sociológicos e Antropológicos da Educação. É Líder do Grupo de Pesquisa GPS (Gestão de Políticas Sociais) da UNILAB/ICSA/CNPq e Pesquisador integrante do Núcleo de História e Memória da Educação - NHIME da UFC/CNPq

Referências

BRASIL. LDB: Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. 9. ed. Brasília, DF: Câmara dos Deputados, 2014.

CHARLOT, Bernard. Da relação com o saber às práticas educativas. São Paulo: Cortez, 2013.

DELORY-MOMBERGER, Christine. Biografia e educação: figuras do indivíduo-projeto. Natal: UFRN; São Paulo: Paulus, 2008.

ESTEBAN, Maria Teresa. Escolas que somem, reflexões sobre escola pública e educação popular. Perspectiva, Florianópolis, v. 22, n. 1, p. 127-144, 2004

ESTEVES, Carla Hiolanda Ferreira. Entrevistar crianças/jovens: relato de uma experiência em contexto hospitalar. Saber & Educar, [S.l.], n. 19, p. 96-105, 2014.

GADOTTI, Moacir. Perspectivas atuais da educação. Porto Alegre: Artes Médicas, 2000.

GAVIRIA, Ricardo Castaño. Ética y pedagogía: una postura de reflexividad. Revista Brasileira de Educação de Jovens e Adultos, Salvador, v. 1, n. 1, p. 223-232, 2013.

GOLEMAN, Daniel; SENGE, Peter. O foco triplo: uma nova abordagem para a educação. Rio de Janeiro: Objetiva, 2015.

HOUZEL, Suzana Herculano. O cérebro adolescente: a neurociência da transformação da criança em adulto. São Paulo: Amazon, 2013.

INSTITUTO DE CORRESPONSABILIDADE PELA EDUCAÇÃO – ICE. Protagonismo Juvenil – Práticas e Vivências. 2016.

LIBÂNEO, José Carlos; OLIVEIRA, João Ferreira de; TOSCHI, Mirza Seabra. Educação escolar: políticas, estrutura e organização. São Paulo: Cortez, 2003.

MIRANDA, Marília Gouveia de; SANTOS, Soraya Vieira. Propostas de tempo integral: a que se destina a ampliação do tempo escolar? Perspectiva, Florianópolis, v.30, n. 3, p. 1073-1098, 2012.

PERRENOUD, Philippe. Dez novas competências para ensinar. Porto Alegre: Artmed, 2000.

THE UNITED NATIONS EDUCATIONAL, SCIENTIFIC AND CULTURAL ORGANIZATION – UNESCO. Declaração Mundial sobre Educação para Todos. Jomtien: Unesco, 1990.

VALENÇA, Vera Lúcia Chacon. Contribuições filosóficas e sociológicas sobre a infância. Perspectiva, Florianópolis, v. 33, n. 2, p. 689-705, 2015.

Publicado
2020-06-04
Como Citar
Viana, A. L., Sucupira, T. G., Vasconcelos, J. G., & Roberto Xavier, A. (2020). ESCOLA DE TEMPO INTEGRAL: UMA EXPERIÊNCIA DE PROTAGONISMO JUVENIL. Interfaces Científicas - Educação, 8(3), 291-303. https://doi.org/10.17564/2316-3828.2020v8n3p291-303
Seção
Artigos