PARADIGMA DO CUIDADO COMPLEXO EM SAUDE: produção de conhecimento no campo da enfermagem

Palavras-chave: Paradigma. Cuidado complexo em saúde. Enfermagem

Resumo

Esse artigo tem por objetivo integrar reflexões sobre complexidade e formação em enfermagem. Por tratar-se de um artigo de revisão a metodologia utilizada para o estudo foi a pesquisa bibliográfica. Observamos por meio de diferentes discussões que o cuidado no campo da enfermagem foi se transformando até chegar ao cuidado profissional tal como é praticado hoje, tendo em vista os paradigmas que permearam sua trajetória histórica. Pensar e refletir sobre o paradigma do cuidado complexo em saúde significa estar sensível ao desenvolvimento de práticas de cuidado que considerem interconexões, intercorrências das interações envolvidas na assistência no processo de cuidar. A teoria base para essa reflexão tornou-se um ponto de partida, não de chegada.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Andréia Valéria de Souza Miranda, UDESC
Doutoranda em Educação (UDESC) Especialista em Saúde da Família; Desenvolvimento Gerencial de Unidades Básicas; Enfermagem do Trabalho; Formação Integrada Multiprofissional em Educação Permanente em Saúde; Saude pública com enfase em saude mental; Educação Profissional na Área da Saúde: Enfermagem Enfermeira
Marina Patricio de Arruda, Universidade do Planalto Catarinense - UNIPLAC
Doutora em Serviço Social e pos-doutora em Educação pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul(2012). Atualmente é professora e pesquisadora nos Programas de Pos-graduação em Educação (PPGE) e em Ambiente e Saúde (PPGAS) da Universidade do Planalto Catarinense (UNIPLAC) integrando as Linhas de pesquisa Educação, Processos-socioculturais e Sustentabilidade (PPGE) e Meio Ambiente, Saúde e Qualidade de Vida(PPGAS). Coordenadora do Grupo de Pesquisa em Educação, Saúde e Qualidade de Vida (GEPESVIDA).
Sonia Maria Martins de Melo, Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC
Doutora em Educação. Professora da Graduação e do Mestrado e Doutorado do Programa de Pós-Graduação em Educação-PPGE\UDESC. Líder do Grupo de Pesquisa EDUSEX Formação de Educadores e Educação Sexual

Referências

BRASIL. Decreto nº791, de 27 de setembro de 1890. In: Decretos do Governo Provisório da República dos Estados Unidos do Brazil, 9º fasc., set. 1890. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1890.

____. Lei 7.498, de 25 de junho de 1986. Dispõe sobre a regulamentação do exercício de Enfermagem e dá outras providencias. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 26 jun.1986

¬¬¬¬

____. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei número 9394, 20 de dezembro de 1996.

____. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação(*)

Câmara de educação superior. Resolução cne/ces nº 3, de 7 de novembro de 2001. Brasília: me. 2001

BRESCIANI, H.R. et al. Legislação comentada: lei do exercício profissional e código de ética / Organização: Helga Regina ... [et al.]. – Florianópolis: Conselho Regional de Enfermagem de Santa Catarina: Letra Editorial, 2016. 137p. – (Cadernos Enfermagens; v.3)

CAPRA, F. O ponto de mutação. A ciência, a sociedade e a cultura emergente. São Paulo: Cultrix, 1982.

COFEN. Resolução 0564/2017. Aprova o novo Código de ética dos Profissionais de Enfermagem. Brasília: 2017. Disponível em: http://www.cofen.gov.br/resolucao-cofen-no-5642017_59145.html. Acessado em 15/05/2018.

GALVANI, P. A autoformação, uma perspectiva transpessoal, transdiciplinar e transcultural. In: SOMMERMAN, A.; MELLO, M. F.; BARROS, V. M. (Org.). Educação e transdisciplinaridade II. São Paulo: Triom, 2002. p. 95-121.

GEOVANINI, T. MOREIRA, A; SCHOELLER, S. D; MACHADO, W. C. A. História da Enfermagem: versões e interpretações. 3 ed. Rio de Janeiro: Revinter, 2010.

GONÇALVES, T.N. R. Promoção de habilidades cognitivas e educação: um modelo de análise de programas de desenvolvimento cognitivo. Revista Brasileira de Educação. UIED/FCT/Universidade Nova de Lisboa. v. 15 n. 45 set./dez. 2010.

____. Os sete saberes necessários à educação do futuro. Tradução de Catarina Eleonora F. da Silva e Jeanne Sawaya; revisão técnica de Edgard de Assis Carvalho. 2. ed. São Paulo: Cortez; Brasília: UNESCO, 2000.

____. A cabeça bem-feita: repensar a reforma, reformar o pensamento. Rio de Janeiro: Ed. Bertrand, 2001.

____. Ciência com consciência. Ed. Revista e aumentada pelo autor. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1998.

____. O método 5. A humanidade da humanidade. Porto Alegre: Sulina, 2002.

OGUISSO, T. (org). Trajetória histórica e legal da enfermagem. 2ª ed. Ampl. – Barueri, SP: Manole, 2007.

SENA, R. R.; GONÇALVES, A. M.; DUARTE, E. D.; COELHO, S. O cuidado no trabalho em saúde: implicações para a formação de enfermeiros. Rev. Interface. Comunicação, Saúde e Educação, v. 24, p. 23-34, 2008. Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1414-32832008000100003&script=sci_abstract&tlng=pt Acessado em 23/05/2017

SILVA, A.L; CAMILLO, S.O. A educação de enfermagem à luz do paradigma da complexidade. Rev Esc Enferm USP. 2007; v. 41, n. 3, p. 403-410.2007. Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0080-62342007000300009&script=sci_abstract&tlng=pt Acessado em 21/03/2018

Publicado
2020-04-02
Como Citar
Miranda, A. V. de S., Arruda, M. P. de, & Melo, S. M. M. de. (2020). PARADIGMA DO CUIDADO COMPLEXO EM SAUDE: produção de conhecimento no campo da enfermagem. Interfaces Científicas - Educação, 8(3), 27-40. https://doi.org/10.17564/2316-3828.2020v8n3p27-40
Seção
Artigos