O ARCO DE MAGUEREZ COMO METODOLOGIA ATIVA NA FORMAÇÃO CONTINUADA EM SAÚDE

  • Luiz Alberto Ruiz da Silva Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul http://orcid.org/0000-0002-3257-1196
  • Orides Piveta Junior Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul
  • Paulo Ramsés da Costa Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul
  • Rogério Dias Renovato Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul
  • Cibele de Moura Sales Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul
Palavras-chave: Metodologias Ativas, Estratégias de Ensino, Formação Profissional, Educação em Saúde

Resumo

A preocupação com a formação e os métodos de ensino-aprendizagem dos profissionais na área de saúde são pontos importantes a serem considerados pelas instituições de ensino superior, uma vez que há a necessidade de se analisar constantemente as técnicas e as metodologias utilizadas para formar tais profissionais. Dessa forma, este estudo teve como objetivo analisar e refletir sobre a utilização do Arco de Maguerez, metodologia ativa empregada para a formação continuada de profissionais da área de saúde, a partir de análise documental. Assim, a metodologia problematizadora pautada no Arco de Maguerez, como método ativo na formação continuada dos profissionais de saúde, desenvolve nos sujeitos uma postura reflexiva, crítica e também investigativa, identificando o problema, e instigando-os à formação de um raciocínio crítico para a seleção das soluções propostas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luiz Alberto Ruiz da Silva, Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul
Mestre em Ensino em Saúde - Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul.
Orides Piveta Junior, Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul
Mestre em Ensino em Saúde - Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul.
Paulo Ramsés da Costa, Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul
Mestre em Ensino em Saúde - Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul.
Rogério Dias Renovato, Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul
Doutor em Educação pela UNICAMP e professor do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ensino em Saúde - Mestrado Profissional, Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul.
Cibele de Moura Sales, Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul
Doutora em Ciências da Saúde pela UnB e professora do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ensino em Saúde - Mestrado Profissional, Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul.

Referências

BENTO, Deonízio Gercy. Estratégias da equipe de enfermagem pediátrica para o descarte adequado dos resíduos de serviço de saúde no ambiente hospitalar. 2014. 111f. Dissertação (Mestrado Profissional em Enfermagem) – Centro de Ciências da Saúde, Universidade Federal de Santa Catarina – Santa Catarina.

BERBEL, Neusi Aparecida Navas. A problematização e a aprendizagem baseada em problemas. Interface comunicação saúde educação, Botucatu, v. 2, n. 2, p. 139-154, 1998.

______. As metodologias ativas e a promoção da autonomia de estudantes. Semina: Ciências Sociais e Humanas, Londrina, v. 32, n. 1, p. 25-40, 2012.

______. Metodologia da problematização: fundamentos e aplicações. Londrina: Editora UEL, 1999.

______. Metodologia da problematização: uma alternativa metodológica apropriada para o ensino superior. Semina: Ciências Sociais e Humanas, Londrina, v. 16, n. 3, p. 09-19, 1995.

BORDENAVE, Juan Diaz; PEREIRA, Adair Martins. Estratégias de ensino aprendizagem. 4. ed. Petrópolis: Vozes, 1989.

______. Estratégias de ensino-aprendizagem. 32. ed. Petrópolis, RJ: Editora Vozes, 2012.

FREITAS, Daniel Antunes et al. Saberes docentes sobre processo ensino-aprendizagem e sua importância para a formação profissional em saúde. Interface-Comunicação, Saúde, Educação, Botucatu, v. 20, n. 57, p. 437-448, 2016.

COSTA, Roberta. Reflexões da equipe de saúde sobre o método mãe-canguru em uma unidade de neonatologia: um diálogo fundamentado na abordagem problematizadora. 2005. 228f. Dissertação (Mestrado em Enfermagem) – Centro de Ciências da Saúde, Universidade Federal de Santa Catarina – Santa Catarina.

DAMASCENO, Andréia Maria; APARECIDA SAID, Fátima. O método problematizador no cuidado educativo com mulheres no preparo ao parto. Cogitare Enfermagem, Curitiba, v. 13, n. 2, p. 173-183, 2008.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 17. Ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, v. 3, 1987.

______. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

GATTI, Bernadete; ANDRÉ, Marli. A relevância dos métodos de pesquisa qualitativa em Educação no Brasil. In: WELLER, Vivian; PFAFF, Nicole. (Org.). Metodologia da pesquisa qualitativa em educação: teoria e prática. Petrópolis, RJ: Vozes, 2010.

MITRE, Sandra Minardi et al. Metodologias ativas de ensino-aprendizagem na formação profissional em saúde: debates atuais. Ciência & saúde coletiva, Rio de Janeiro, v. 13, p. 2133-2144, 2008.

MIZUKAMI, Maria da Graça Nicoletti. Ensino: as abordagens do processo. São Paulo: EPU, 1986.

Publicado
2020-04-02
Como Citar
Ruiz da Silva, L. A., Junior, O. P., da Costa, P. R., Renovato, R. D., & Sales, C. de M. (2020). O ARCO DE MAGUEREZ COMO METODOLOGIA ATIVA NA FORMAÇÃO CONTINUADA EM SAÚDE. Interfaces Científicas - Educação, 8(3), 41-54. https://doi.org/10.17564/2316-3828.2020v8n3p41-54
Seção
Artigos