OS MEMES DE HUMOR E A NATURALIZAÇÃO DA VIOLÊNCIA COMO CAMINHO EDUCATIVO

  • Milena Aragão Faculdade Estácio de Sergipe
Palavras-chave: Castigo Físico, Rede Social x Meme, Processos culturais

Resumo

O presente artigo tem como objetivo compreender os discursos sobre os castigos físicos manifestos nos memes da fanpage do Facebook, “Bode Gaiato”, a fim de analisar a legitimação e a disseminação da violência contra a criança mascarada pelo humor. Para tanto, foram discutidos o uso dos castigos como caminho educativo; o conceito de meme e sua projeção nas redes sociais; e analisados os discursos presentes nos memes e nos comentários destes. Como caminho metodológico, foram escolhidos dois dos memes sobre castigos mais curtidos do site, compreendendo o período de 2013 a 2017, os quais foram analisados a partir da Análise Textual Discursiva. Como discussão, foram problematizadas quatro categorias: os castigos, o humor, o erro e a família. Na conclusão, debateu-se sobre a valorização da violência na educação da criança, bem como os memes de humor na naturalização de discursos que legitimam a violência como caminho para educar, seja em casa ou na escola

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Milena Aragão, Faculdade Estácio de Sergipe
Possui graduação em Psicologia pela Universidade Federal de Santa Catarina , MBA em Gestão de Pessoas pela Universidade de Caxias do Sul/RS, Mestrado em Educação pela Universidade de Caxias do Sul/RS e Doutorado em Educação pela Universidade Federal de Sergipe. É docente do departamento de Psicologia da Faculdade Estácio de Sergipe

Referências

ARAGAO, Milena.; FREITAS, Anamaria Gonçalves Bueno de. Práticas de castigos escolares: enlaces históricos entre normas e cotidiano. Conjectura: Filosofia e Educação (UCS), v. 17, p. 17-36, 2012.

BERGER, Arthur. An Anatomy of Humor. New Jersey: 2ª edição, Transaction Publishers, 2012.

BERGSON, Henri. O Riso: ensaio sobre a significação do cômico. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1983.

BLACKMORE, Susan. O poder do meme. The Skeptic (EUA), 1997, 5 nº 2, p. 43-49

BOURDIEU, Pierre. O poder simbólico. Lisboa: Difel, 1989.

________________. Razões Práticas: Sobre a Teoria da Ação. Campinas: Papirus Editora, 1996.

BRASIL. Estatuto da Criança e do Adolescente. Lei 8.069 de 13 de julho de 1990. Disponível em:< www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L8069.htm>. Acesso em: 12, jan, 2017.

DAWKINS, Richard. O Gene Egoísta. São Paulo: EDUSP- Editora da Universidade de São Paulo, 1979.

ELIAS, Norbert. O processo civilizador. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., vol 1, 1994.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Tradução: Tomaz Tadeu da Silva & Guaciara Lopes Louro. Rio de Janeiro: Lamparina, 2014

LEAL-TOLEDO, Gustavo. Em busca de uma fundamentação para a Memética. Trans/Form/Ação, Marília , v. 36, n. 1, p. 187-210, abr. 2013 . Disponível em <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S010131732013000100011&lng=pt&nrm=iso>. Acesso em: 12, jan, 2017.

LUCKESI, C. C. Avaliação Escolar. São Paulo: Cortez, 1999.

MORAES, Roque. Uma tempestade de luz: a compreensão possibilitada pela análise textual discursiva. Ciência e Educação, São Paulo, v. 12, n. 3, dez. 2003.

SAGIM, Miriam Botelho. Violêncai domestica observada e vivenciada por crianças e adlescentes no ambiente familiar.2008. Tese de Doutorado, Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Universidade de São Paulo, 2008.

SOARES, Priscila Farina. O discurso da violência sistêmico-simbólica e sua replicação nos memes de humor da fanpage Diva Depressão. 2013. Dissertação de Mestrado, Programa de Pós-Graduação em Letras, Universidade Católica de Pelotas, 2013.

SOUZA, Rita de Cássia. Punições e disciplina: introdução ao estudo da cultura escolar. II Congresso de Pesquisa e Ensino em História da Educação em Minas Gerais, 2003, Uberlândia. Anais do II Congresso de Pesquisa e Ensino em História da Educação em Minas Gerais, 2003. Disponível em: <http://www.faced.ufu.br/nephe/images/arq-ind-nome/eixo7/completos/punicoes-disciplina.pdf> Acesso em: 12, jan, 2017.

____________. "Não premiarás, não castigarás, não ralharás..." dispositivos disciplinares em Grupos Escolares de Belo Horizonte (1925-1955). São Paulo: USP, 2006, 493 p. Tese (Doutorado) – Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, 2006. Disponível em: <http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/48/48134/tde-06032008-112155/pt-br.php>. Acesso em: 12, jan, 2017.

Publicado
2020-04-02
Como Citar
Aragão, M. (2020). OS MEMES DE HUMOR E A NATURALIZAÇÃO DA VIOLÊNCIA COMO CAMINHO EDUCATIVO. Interfaces Científicas - Educação, 8(3), 129-144. https://doi.org/10.17564/2316-3828.2020v8n3p129-144
Seção
Artigos