FORMAÇÃO DOCENTE EM REDE: O OLHAR DE PROFESSORES SOBRE O BRINCAR LIVRE ATRAVÉS DE DISPOSITIVOS MÓVEIS E NOVAS RECONFIGURAÇÕES FORMATIVAS

  • Maria Cristina d'Avila Teixeira UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA - UFBA UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB
  • Antonete Xavier Universidade do Estado da Bahia UNEB
  • Marilete Calegari Cardoso Universidade do Sudoeste da Bahia UESB
Palavras-chave: Cibercultura, formação de professores, brincar livre, ensino fundamental

Resumo

Resumo: Este artigo tem como objetivo analisar para compreender o brincar livre como fonte de experiências para crianças e o uso da conexão em rede para a formação de professores do ensino fundamental e monitores, envolvidos no projeto “Baú Brincante”, por meio de registro e narrativas, utilizando seus celulares smartphones. O “Baú Brincante” – é um caixa com materiais não estruturados para o brincar livre das crianças, um projeto realizado pelo Gepel/UFBA/UNEB/UESB em parceria com o Prof. Drº Gilles Brougère do grupo Experice da Universidade Paris XIII, Sorbonne, em Paris. Para este artigo, buscamos dialogar sobre a potencialidade do Baú Brincante para o fomento do brincar livre na escola e os potenciais da cibercultura, no processo de pesquisa e formação em rede para os atores implicados. Nesta pesquisa qualitativa de cunho etnográfico, os dados foram coletados por meio da observação, diários e registros com os fotografias, vídeos, áudios, e o uso de comunicadores instantâneos dos smartphones. As primeiras análises apontam a necessidade de constituição de ambientes formativos que estimulem o uso da conexão em rede, e dos dispositivos móveis, para as reflexões e compartilhamentos sobre o brincar livre, bem como para a troca das impressões sobre as observações, instigando os professores a descobrir os potenciais formativos e de colaboração destes dispositivos para a pesquisa e sua própria formação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Cristina d'Avila Teixeira, UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA - UFBA UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB
Faculdade de Educação. Departamento de Educação. Área: Didática
Antonete Xavier, Universidade do Estado da Bahia UNEB
Departamento de educação. Campus 1
Marilete Calegari Cardoso, Universidade do Sudoeste da Bahia UESB
Departamento de educação

Referências

Referências

ARIÉS, P. História Social da Criança e da Família. Rio de Janeiro: LTC, 1981.

BARBIER, R. A pesquisa-ação. Brasília: Líber, 2004.

BROUGÈRE, G. Jogo e Educação. Porto Alegre; Artes Médicas, 1998.

______. A criança e a cultura lúdica. In: KISHIMOTO, T. (org.). O brincar e suas teorias. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2002.

______. Brinquedo e Companhia. São Paulo: Cortez, 2004.

______. Brinquedo e cultura. 6.ed. São Paulo: Cortez, 2006.

CARDOSO, M. C. Baú de memórias: representações de ludicidade de professores de educação infantil /Programa Pós- Graduação- Mestrado em Educação/FACED/UFBA. – 2008.170 f..

_________; D’ ÁVILA,C. Formação de professores de educação infantil de Jequié/Ba: um olhar para as representações de ludicidade. Anais do 19º EPENN 2009, João Pessoa – Paraíba.

CASTELLS, Manuel. A sociedade em rede. São Paulo: Paz e Terra, 1999

CSIKSZENTMIHALYI, M. A descoberta do fluxo: a psicologia do envolvimento com a vida cotidiana. Rio de Janeiro: Rocco, 1999.

D'ÁVILA, C. M. O eclipse do lúdico. Revista da FAEEBA – Educação e Contemporaneidade, Salvador, v. 15, n. 25, p. 15-25, jan./jun., 2007.

DEWEY, J. (1859-1952). Vida e Educação. Tradução e estudo preliminar de Anísio Teixeira, 6. ed. São Paulo:Edições Melhoramentos, 1967.

FREIRE, P. Educação e atualidade brasileira. São Paulo: Cortez, Instituto Paulo Freire, 2003

HEILAND, H.Friedrich Fröbel. Tradução: Ivanise Monfredini. – Recife: Fundação Joaquim Nabuco, Editora Massangana, 2010.138 p.: il. – (Coleção Educadores)

HERNANDÈZ, F. Transgressão e mudança na educação. Porto Alegre: Artes Médicas, 1998.

KISHIMOTO, T. M. Jogo, Brinquedo, Brincadeira e Educação. Ed.5ª, São Paulo: Cortez, 2001

______ . Froebel: uma pedagogia do brincar para a infância. In. FORMOSINHO, J.O;

LEAL, L. A.; D’ÁVILA, C. M. A ludicidade como princípio formativo. Interfaces Científicas, Educação, Aracaju. V. 1, 2. P.41-52. Fev. 2013

LEMOS, André. Cibercultura: Tecnologia e Vida Social na Cultura Contemporânea. Porto Alegre: Sulinas, 2004.

LEMOS, André. Por um modo de existência do lúdico. In: Revista Contracampo, v. 32, n. 2 , ed. abril-julho ano 2015. Niterói: Contracampo, 2015. Págs: 4-17.

LÈVY, Pierre. As tecnologias da inteligência: o futuro do pensamento na era da informática. Tradução Carlos Irineu da Costa, Rio de Janeiro: Ed. 34, 1993a.

_____________. As tecnologias da inteligência: O futuro do pensamento na era da informática. (Trad. Carlos Irineu da Costa). 3a ed. Rio de Janeiro : Editora 34, 1993b.

_____________. Cibercultura. (Trad. Carlos Irineu da Costa). São Paulo: Editora 34, 1999.

______. A inteligência coletiva: por uma antropologia do ciberespaço. 3. ed. São Paulo: Loyola, 2000.

______. O que é virtual? 8. ed. Rio de Janeiro: 34, 2007.

LOPES, M. C. Brincar Social Espontâneo na Educação de Infância: um estudo. Book (PDF).Dez, 2016. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/313853101_. Acesso em 3 mar.2017.

LUCKESI, C. (org.). Ludopedagogia. Ensaios 1. Salvador: UFBA/FACED. Programa de Pós-Graduação em Educação, 2000.

______Ludicidade e atividades lúdicas: uma abordagem a partir da experiência interna. 2005. Disponível em WWW.luckesi.com.br. Acesso em 19 set.2007.

NÓVOA. A. Formação de Professores e Trabalho Pedagógico. Lisboa/Portugal: EDUCA 2002.

SANTOS, Edméa. Pesquisa-Formação na cibercultura. Santo Tirso: Wh!teBooks, 2014.

_______________ e SANTOS, Rosemary. A pesquisa-formação multirreferencial: narrando o vivido em busca dos sentidos contemporâneos. Disponível em: http://www.infoteca.inf.br/endipe/smarty/templates/arquivos_template/upload_arquivos/acervo/docs/1548c.pdf. Acesso em 20 de janeiro de 2013.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis, RJ: Vozes, 2002.

XAVIER, Antonete Araújo Silva. Implicações das tecnologias de informação e comunicação na formação continuada de professores : um estudo de caso do projeto do giz à internet, na cidade de Madre de Deus. 2006. 153f. Dissertação (Mestrado) Programa de Pós graduação em Educação e Contemporaneidade, Universidade do Estado da Bahia, Salvador, 2006.

WINNICOTT, D.W. O brincar e a realidade. Rio de Janeiro: Zahar,1975.

Publicado
2020-04-02
Como Citar
Teixeira, M. C. d’Avila, Xavier, A., & Cardoso, M. C. (2020). FORMAÇÃO DOCENTE EM REDE: O OLHAR DE PROFESSORES SOBRE O BRINCAR LIVRE ATRAVÉS DE DISPOSITIVOS MÓVEIS E NOVAS RECONFIGURAÇÕES FORMATIVAS. Interfaces Científicas - Educação, 8(3), 113-128. https://doi.org/10.17564/2316-3828.2020v8n3p113-128
Seção
Artigos