EDUCAÇÃO AMBIENTAL E ATIVIDADE EXTENSIONISTA: A LUDICIDADE COMO PRÁTICA PEDAGÓGICA

  • Josean Santos Nascimento Universidade Tiradentes
  • Vanda Maria Campos Salmeron Dantas Universidade Tiradentes
Palavras-chave: Educação ambiental. Ludicidade. Práticas pedagógicas. Formação do professor.

Resumo

Na contemporaneidade, há uma preocupação com as questões ambientais, fundamentais para a qualidade do meio ambiente, em prol de uma vida saudável. A educação tem por função primordial preparar o aluno para ser cidadão consciente sobre seu papel de sujeito atuante na sociedade, em relação ao desenvolvimento sustentável. Diante da importância de cuidar do meio ambiente, é que foi elaborado o projeto de extensão que teve como objetivo sensibilizar os alunos acerca da preservação e conservação ambiental em uma turma multisseriada da Escola Municipal José Manoel da Silva, localizada na zona rural de Muribeca (SE). A fundamentação epistemológica é baseada em Branco (2007), Santos (1997), Bezerra (2017), Brasil (1997), Vygotsky (1991). A metodologia para subsidiar as atividades do projeto de extensão foi a pesquisa bibliográfica e, após, a pesquisa de campo, com o intuito de compreender o contexto escolar de aplicar a ação extensionista. Nessa perspectiva, a prática pedagógica foi realizada através da ludicidade, já que esta metodologia possibilita ao educador trabalhar através de uma dinâmica dialética, e propicia uma reflexão crítica sobre o conteúdo ministrado no decorrer das aulas. Além de evidenciar o trabalho através da ludicidade, o projeto visou também a mostrar a importância da atividade extensionista na formação inicial do professor, numa proposta contextualizada de vivenciar a complexidade do ensinar e aprender no contexto educacional

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BEZERRA, Ada Augusta; SILVA; Soane Maria S. Menezes Trindade. Educação e sustentabilidade. Uma relação a construir desde a educação infantil. Fortaleza: Edições, UFC, 2017.

BRANCO, Sandra. Meio ambiente e educação ambiental na educação infantil e no ensino fundamental. São Paulo: Cortez, 2007.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais (1ª a 4 ª série). Brasília: MEC, v. 9, 1997. Disponível em: < http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/livro091.pdf>. Acesso em: 24 jan. 2020.

BRASIL. Lei n. 9.795, de 27 de abril de 1999. Dispõe sobre a educação ambiental, institui a Política Nacional de Educação Ambiental e dá outras providências. Diário Oficial [da] União, Brasília, 28 abr. 1999.

KIDS, A. Música olha a explosão (paródia) - Versão infantil (ó o lixo no chão). 2016. (2m06s). Disponível em: < https://www.youtube.com/watch?v=1qbTY5kMaic>. Acesso em: 12 nov. 2019.

MOREIRA, D. A. O método fenomenológico na pesquisa. São Paulo: Pioneira Thompson, 2002.

PANORAMA dos Resíduos Sólidos no Brasil 2018/2019. São Paulo. In: ABRELPE. nov. 2019. Disponível em: <http://abrelpe.org.br/download-panorama-2018-2019>. Acesso em: 23 jan. 2020.

PEREIRA, A. S. et al. Ludicidade e meio ambiente: uma proposta de socialização do pibid – educação do campo. In: CONGRESSO NACIONAL DE EDUCAÇÃO, 11. 2013, Curitiba. Disponível em: <https://educere.bruc.com.br/ ANAIS2013/pdf/9520_ 5792. pdf>. Acesso em: 22 jan. 2020.

SANTOS, Santa Marli Pires dos. O Lúdico na Formação do Educador. Petrópolis, RJ: Vozes,2002.

TURMA, C. da. Vamos cuidar do meio ambiente. 2011. (3m06s). Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=pT8Oh4307F8> . Acesso em: 12 nov. 2019.

VYGOTSKY, L. S. A formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes, 1991.

Publicado
2020-09-07
Como Citar
Nascimento, J. S., & Salmeron Dantas, V. M. C. (2020). EDUCAÇÃO AMBIENTAL E ATIVIDADE EXTENSIONISTA: A LUDICIDADE COMO PRÁTICA PEDAGÓGICA. Caderno De Graduação - Ciências Biológicas E Da Saúde - UNIT - SERGIPE, 6(2), 65. Recuperado de https://periodicos.set.edu.br/cadernobiologicas/article/view/8679
Seção
Artigos