Mortalidade Materna: Perfil Epidemiológico em Sergipe (2001 - 2010)

Autores

  • Marina Santos Souza UNIVERSIDADE TIRADENTES
  • Grasiele Santos Garção UNIVERSIDADE TIRADENTES
  • Soraya Maria Santiago Santos Barreto UNIVERSIDADE TIRADENTES
  • Max Oliveira Menezes UNIVERSIDADE TIRADENTES
  • Dênison Pereira da Silva UNIVERSIDADE TIRADENTES
  • Carolina Santos Souza UNIVERSIDADE TIRADENTES
  • Ingrid Almeira de Melo UNIVERSIDADE TIRADENTES
  • Walter Marcelo Oliveira de Carvalho UNIVERSIDADE TIRADENTES

Palavras-chave:

Mortalidade materna, Epidemiologia, Sistema de Informação de Mortalidade

Resumo

A mortalidade materna é uma das mais graves violações dos direitos humanos. Encontrada eminentemente nos países em desenvolvimento é evitável na maioria absoluta dos casos e serve como parâmetro de avaliação da qualidade do serviço de saúde ofertado à população. Este trabalho objetivou caracterizar o perfil epidemiológico dos óbitos maternos no Estado de Sergipe, no período entre 2001 a 2010. A categorização dos óbitos foi realizada através do número de ocorrências por ano, causas, faixas etárias, raça/cor, nível de escolaridade, estado civil, local de ocorrência e período obstétrico envolvido. Os dados foram colhidos no MS, através da Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS), no Departamento de Informática do MS (DATASUS), através de pesquisa no Sistema de Informação de Mortalidade (SIM). Concluiu-se que dentre os 6531 óbitos de mulheres em idade fértil, 3,5% tiveram causas obstétricas como registro principal nas declarações de óbitos. Estes óbitos ocorreram principalmente em 2009. As principais causas de mortes foram às obstétricas diretas, representadas notadamente por aquelas causadas por edema, proteinúria e transtornos hipertensivos na gravidez, no parto e no puerpério. Espera-se que esta pesquisa venha contribuir para o enfrentamento da problemática da mortalidade materna em nosso Estado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marina Santos Souza, UNIVERSIDADE TIRADENTES

GRADUADA EM ENFERMAGEM PELA UNIT.

Grasiele Santos Garção, UNIVERSIDADE TIRADENTES

GRADUADA EM ENFERMAGEM PELA UNIVERSIDADE TIRADENTES.

Soraya Maria Santiago Santos Barreto, UNIVERSIDADE TIRADENTES

GRADUADA EM ENFERMAGEM PELA UNIVERSIDADE TIRADENTES. PÓS-GRADUANDA EM ENFERMAGEM GINECOLÓGICA E OBSTÉTRICA.

Max Oliveira Menezes, UNIVERSIDADE TIRADENTES

ESPECIALISTA EM TERAPIA INTENSIVA. PÓS-GRADUANDO EM ENFERMAGEM GINECOLÓGICA E OBSTÉTRICA.

Dênison Pereira da Silva, UNIVERSIDADE TIRADENTES

MESTRE EM SAÚDE E AMBIENTE PELA UNIVERSIDADE TIRADENTES. PROFESSOR DO CURSO DE ENFERMAGEM DA UNIT.

Carolina Santos Souza, UNIVERSIDADE TIRADENTES

ESPECILISTA EM TERAPIA INTENSIVA.

Ingrid Almeira de Melo, UNIVERSIDADE TIRADENTES

ESPECIALISTA EM URGÊNCIA E EMERGÊNCIA, ESPECIALISTA EM TERAPIA INTENSIVA. PROFESSORA DO CURSO DE ENFERMAGEM DA UNIT.

Walter Marcelo Oliveira de Carvalho, UNIVERSIDADE TIRADENTES

MESTRE EM CIÊNCIAS DA SAÚDE. PROFESSOR DOS CURSOS DE MEDICINA E ENFERMAGEM DA UNIVERSIDADE TIRADENTES.

Referências

ALMEIDA, Ana Maria de; GOMES, Flávia Azevedo; MATUO Yuriko Kanashiro; NAKANO, Ana Márcia Spanó. Mortalidade Materna na perspectiva familiar. Revista Esc. de Enfermagem USP. Vol. 40. n° 1. p. 50. 2006. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v40n1/a06v40n1.pdf>. Acesso em: 13/09/2012.

ALBUQUERQUE, Rivaldo Mendes de; CECATTI, José Guilherme; FAÚNDES, Ellen Hardy, Aníbal. Mortalidade Materna em Recife. Causas de Óbitos Maternos. Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia. v. 20, nº 1, 1998. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/%0D/rbgo/v20n1/a02v20n1.pdf . Acesso: 18/05/2013. Acesso em : 18/05/2013

AMORIM, Melania Maria Ramos de; COSTA, Aurélio Antônio Ribeiro; RIBAS, Maria do Socorro S. S. de; SANTOS, Luiz Carlos. Mortalidade Materna na Cidade de Recife. Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia. Vol. 24. n° 7. Rio de Janeiro, 2002. Disponível em: . Acesso em: 12/09/2012.

ANDRADE, Amaury T.; ANDRADE, Gilberto N.; ARAÚJO, Dimas Augusto de C.. Mortalidade materna: 75 anos de observações em uma Maternidade Escola. Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia. Vol. 28. n° 7.Rio de Janeiro, 2006. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-72032006000700002&lng=en&nrm=iso&tlng=pt>. Acesso em: 12/09/2012.

BARBOSA, Mariane Doelinger; CALIL, Manuele Bonatto; EYER, Fernanda Pinella Carvalhal; FONSECA, Sandra Costa; MORSE, Marcia Lait. Mortalidade materna no Brasil: o que mostra a produção científica nos últimos 30 anos?. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, 27(4):623-638, abr, 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csp/v27n4/02.pdf. Acesso em: 17/05/2013

BRASIL. Câmara de Deputados Federal. Comissão Parlamentar de Inquérito de Mortalidade Materna no Brasil. Brasília, 2001. Disponível em: http://www.portalmedico.org.br/biblioteca_virtual/cpi/CPIMortalidade_Matern.htm. Acesso em: 18/05/2013

______. Ministério da Saúde. Lei n° 8080 de 19 de setembro de 1990. Dispõe sobre condições para a promoção proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências Diário Oficial da União, Poder Executivo, Brasília,1990.

______. ______. Boletim 1/2012. Mortalidade materna no Brasil. Brasília: Ministério da Saúde, 2012. Disponível em:<http://portalsaude.saude.gov.br/portalsaude/index.cfm?portal=pagina.visualizarTexto&codConteudo=6403&codModuloArea=783&chamada=boletim-1/2012-_-mortalidade-materna-no-%20%20brasil>. Acesso em: 19/05/2013

______. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Análise de Situação em Saúde. Guia de vigilância epidemiológica do óbito materno / Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde, Departamento de Análise de Situação em Saúde. – Brasília: Ministério da Saúde, 2009. 84 p.

______. Secretaria de Políticas de Saúde. Área Técnica de Saúde da Mulher. Manual dos Comitês de Mortalidade Materna / Ministério da Saúde, Secretaria de Políticas de Saúde, Área Técnica de Saúde da Mulher. 2. ed – Brasília: Ministério da Saúde, 2002. 75 p.

______. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas e Estratégicas. Manual dos Comitês de Mortalidade Materna / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas e Estratégicas. 3. ed – Brasília: Ministério da Saúde, 2007. 104 p.

CALDERON, Iracema de M. P.; CECATTI, José Guilherme; VEJA, Carlos Eduardo P.. Intervenções benéficas no pré-natal para prevenção da mortalidade materna. Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetricia.Vol. 28. n° 5. Rio de Janeiro, 2006. Disponível em: . Acesso em: 13/09/2012.

CECATTI, José Guilherme; PARPINELLI, Mary Angela; SERRUYA, Suzanne Jacob; SOUSA, Maria Helena de; SOUZA, João Paulo. Revisão sistemática sobre morbidade materna near miss. Cadernos de Saúde Pública. Vol. 22. n° 2. Rio de Janeiro, 2006. Disponível em: <http://www.scielosp.org/scielo.php?pid=S0102-311X2006000200003&script=sci_arttext>. Acesso em: 12/09/2012.

______. FAÚNDES, Aníbal; PARPINELLI, Mary Angela; PEREIRA, Belmiro Gonçalves; SURITA, Fernanda Garanhani de Castro. Mortalidade Materna na Cidade de Campinas, no Período de 1992 a 1994. Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia. v. 21, nº 4, 1999. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbgo/v21n4/12627.pdf> Acesso em : 01/06/2013

CERVO, Amado; BERVIAN, Pedro. A Metodologia científica. 4 ed. São Paulo: Makron Books, 1996.

FONSECA, Sandra Costa; GOTTGTROY, Carla Lemos; GUELLER, Eliane; MORSE, Márcia Lait; WALDMANN, Cecília Santos. Mortalidade Materna Grave e Near Misses em Hospital de Referência Regional. Revista Brasileira de Epidemiologia. Vol 14. n°2. São Paulo, 2011 Disponível em: . Acesso em: 13/09/2012.

GAMA, Silvana Granado N. da; MOTA, Santana Maria Marinho; THEME FILHA, Mariza Miranda. A investigação do óbito de mulher em idade fértil para estimar a mortalidade materna no Município de Belém, Estado do Pará, Brasil. Epidemiol. Serv. Saúde v.18 n.1 Brasília mar. 2009. Disponível em: <http://scielo.iec.pa.gov.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1679-49742009000100006&l> Acesso em : 17/05/2013.

______. Mortalidade materna no Município de Belém, Estado do Pará, em 2004: uma avaliação do Sistema de Informações sobre Mortalidade. Epidemiologia e Serviços Saúde. v.17 n.1 Brasília mar. 2008. Disponível em: http://scielo.iec.pa.gov.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1679-49742008000100004&lng=pt. Acesso em: 18/05/2013

GOTLIEB, Sabina Léa D.; JORGE, Maria Helena P. de M.; LAURENTI, Ruy. A mortalidade materna nas capitais brasileiras: algumas características e estimativa de um fator de ajuste. Revista Brasileira de Epidemiologia. Vol. 7.n° 4. São Paulo, 2004. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-790X2004000400008>. Acesso em: 13/09/2012.

HAIDAR, Fátima Hussein; NASCIMENTO, Luiz Fernando Costa; OLIVEIRA, Urânia Fernandes. Escolaridade materna: correlação com os indicadores obstétricos. Caderno de Saúde Pública, Rio de Janeiro, 17(4):1025-1029, jul-ago, 2001. Disponível em : http://www.scielo.br/pdf/csp/v17n4/5309 . Acesso em : 17/05/2013

MARTINS, Alaerte Leandro. Diferenciais raciais nos perfis e indicadores de Mortalidade materna para o Brasil. Caxambú, Minas Gerais. 2004. Disponível em: http://www.abep.nepo.unicamp.br/site_eventos_abep/PDF/ABEP2004_424.pdf Acesso em: 19/05/2013.

______. Mortalidade materna de mulheres negras no Brasil. Caderno de Saúde Pública, Rio de Janeiro, 22(11):2473-2479, nov, 2006. Disponível em: http://www.scielosp.org/pdf/csp/v22n11/22.pdf . Acesso em: 19/05/2013

RICHARDSON, Roberto Jarry e Colaboradores. Pesquisa social: métodos e técnicas. São Paulo: 2 ed. Atlas, 1989.

RIQUINHO, Deise Lisboa; CORREIA, Sandra Gomes. Mortalidade materna: perfil sócio-demográfico e causal. Revista Brasileira de Enfermagem. 2006 maio-jun; 59(3): 303-7. Rio Grande do Sul. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reben/v59n3/a10v59n3.pdf Acesso em: 17/05/2013

______ Sabrina Léa D.; JORGE, Maria Helena Prado de M.; LAURENTI, Ruy. Mortes maternas no Brasil: análise do preenchimento de variável da declaração de óbito. Informe Epidemiológico do SUS. Vol 9. n° 1. Brasília, 2000. Disponível em: . Acesso em: 12/09/2012.

______ Sabrina Léa D.; JORGE, Maria Helena P. de M.; LAURENTI, Ruy. Mortes maternas e mortes por causas maternas. Epidemiologia dos Serviços de Saúde. Vol 17. n° 4. Brasília, 2008. Disponível em: <http://scielo.iec.pa.gov.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1679-49742008000400005&lng=pt>. Acesso em: 12/09/2012.

______ Sabrina Léa D.; JORGE, Maria Helena Prado de M.; LAURENTI, Ruy. Reflexões sobre a mensuração da mortalidade materna. Caderno. Saúde Pública, Rio de Janeiro, Vol 16. n°1. p. 23-30 jan-mar, 2000. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/%0D/csp/v16n1/1561.pdf>. Acesso em: 13/09/2012.

Downloads

Publicado

2013-10-20

Como Citar

Souza, M. S., Garção, G. S., Santos Barreto, S. M. S., Menezes, M. O., da Silva, D. P., Souza, C. S., de Melo, I. A., & de Carvalho, W. M. O. (2013). Mortalidade Materna: Perfil Epidemiológico em Sergipe (2001 - 2010). Caderno De Graduação - Ciências Biológicas E Da Saúde - UNIT - SERGIPE, 1(3), 49–58. Recuperado de https://periodicos.set.edu.br/cadernobiologicas/article/view/1009

Edição

Seção

Artigos